Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Comentários de Trump sobre eleitores negros são repreendidos por Nikki Haley e democratas

    Ex-presidente afirmou que os eleitores negros se sentem mais atraídos por ele depois de seus múltiplos indiciamentos por acusações criminais

    Susan HeaveyValerie InsinnaTrevor Hunnicuttda CNN

    Os comentários de Donald Trump afirmando que os eleitores negros se sentem mais atraídos por ele depois de seus múltiplos indiciamentos por acusações criminais levaram a fortes repreensões de adversários republicanos, de ativistas dos direitos civis e outros grupos neste final de semana.

    Na sexta-feira (23), Trump comparou as 91 acusações criminais em quatro casos distintos contra ele à discriminação enfrentada pelos negros, pontuando que eles passaram a “abraçar” a foto de sua ficha policial (mug shot, como é conhecida nos EUA).

    A fala aconteceu enquanto conversava com um grupo conservador negro na Carolina do Sul antes das eleições primárias do estado, que acabou vencendo.

    “E aí eu fui indiciado uma segunda vez, uma terceira e uma quarta vez. Muitas pessoas disseram que é por isso que os negros gostam de mim, porque foram gravemente feridos e discriminados. “Eles realmente me viam como se eu estivesse sendo discriminado”, comentou.

    Os desafios jurídicos de Trump, incluindo acusações federais sobre seus supostos esforços para reverter sua derrota eleitoral em 2020 e como ele administrou documentos confidenciais, entre outras acusações estaduais e processos civis, são bem diferentes das desigualdades históricas que os negros americanos vivenciaram no sistema de justiça criminal.

    “É nojento”, avaliou a repórteres no sábado (24) a ex-governadora da Carolina do Sul, Nikki Haley, que tem sido alvo de comentários racistas de Trump. Ela prometeu continuar na disputa pela indicação republicana.

    Ela reiterou seu argumento de que o ex-presidente perderá novamente as eleições gerais em 2024 contra o atual presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, se ele conseguir a nomeação do partido. “Este é um grande sinal de alerta”, advertiu.

    Biden venceu as primárias democratas no estado do sul, onde os eleitores negros são extremamente importante e um eleitorado mais reflexivo sobre a opinião geral mais diversificada que irá às urnas nas eleições presidenciais que ocorrerão em 5 de novembro, uma provável revanche entre Biden e Trump.

    Cerca de 60% dos participantes da disputa republicana do sábado eram eleitores brancos que se consideram evangélicos ou cristãos, mostraram as pesquisas de boca de urna.

    “Trump afirmar que os negros americanos o apoiarão por causa de suas acusações criminais é um insulto. É idiota. E é simplesmente racista”, ponderou Cedric Richmond, co-presidente da campanha de Biden, que é negro.

    “Ele acha que os eleitores negros estão tão desinformados que não perceberemos sua bajulação descarada”, adicionou.

    A associação NAACP e a Rede de Ação Nacional lamentaram os comentários de Trump em posicionamento à Federação Conservadora Negra, dizendo que ele relacionou equivocadamente os seus crimes ao debate sobre o preconceito racial sistêmico no sistema de Justiça criminal dos Estados Unidos.

    Trump, que classificou os casos contra ele como uma caça às bruxas política e interferência eleitoral, negou qualquer irregularidade.

    “Estou sendo indiciado por vocês, população negra”, afirmou na conferência na sexta-feira.

    A NAACP respondeu em uma postagem no X, antigo Twitter, dizendo: “Esta não seria a primeira vez que Trump comparou a negritude à criminalidade. Sejamos claros: não temos nada em comum”.

    O representante republicano dos Estados Unidos, Bryon Donald, que é negro, defendeu neste domingo os comentários de Trump, dizendo à NBC News que os negros americanos veem as muitas complicações legais de Trump como “‘se o governo está indo atrás dele com tolice, ele não pode ser tão ruim'”.