Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Coreia do Norte diz que testou um míssil Hwasong-12 e tirou fotos do espaço

    Foi a primeira vez que um míssil com capacidade nuclear desse tamanho foi lançado desde 2017

    Da Reuters

    A Coreia do Norte confirmou nesta segunda-feira (31) que testou um míssil balístico de alcance intermediário (IRBM) Hwasong-12 no domingo (30), segundo a agência de notícias estatal KCNA. Essa foi a primeira vez que um míssil com capacidade nuclear desse tamanho foi lançado desde 2017.

    O lançamento foi relatado pela primeira vez pelas autoridades sul-coreanas e japonesas no domingo. Analistas e autoridades disseram que o teste parece envolver um míssil balístico de alcance intermediário (IRBM), que a Coreia do Norte não testa desde 2017, quando suspendeu os testes de seus maiores mísseis e suas armas nucleares.

    “O teste de disparo de inspeção foi realizado com o objetivo de inspecionar seletivamente o míssil balístico de longo alcance de médio alcance solo-terra Hwasong-12 e verificar a precisão geral deste sistema de armas”, disse a KCNA. A Coreia do Norte disse anteriormente que o Hwasong-12 pode carregar uma “ogiva nuclear pesada de grande porte”.

    A KCNA disse que o lançamento do míssil foi realizado de forma a garantir a segurança dos países vizinhos e que a ogiva de teste foi equipada com uma câmera que tirou fotos enquanto estava no espaço. Fotos divulgadas pela mídia estatal mostraram imagens espaciais da Coreia do Norte e áreas vizinhas através de uma lente de câmera redonda. A Coreia do Norte tirou essas fotos pela primeira vez em 2017, disseram analistas.

    O líder Kim Jong Un não teria participado do teste, que foi pelo menos o sétimo lançamento em janeiro, um dos mais movimentados de todos os tempos para o programa de mísseis da Coreia do Norte. No domingo, o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, disse que o lançamento deixa a Coreia do Norte um passo mais perto de eliminar totalmente uma moratória auto-imposta para testar seus mísseis balísticos intercontinentais de maior alcance (ICBMs).

    Kim disse que não está mais vinculado a essa moratória, que incluiu a interrupção dos testes de armas nucleares e foi anunciada em 2018 em meio a uma enxurrada de diplomacia e cúpulas com os então Estados Unidos presididos por Donald Trump.

    A Coreia do Norte sugeriu este mês que poderia reiniciar essas atividades de teste porque os Estados Unidos e seus aliados não mostraram sinais de abandonar suas “políticas hostis”. Não está claro se IRBMs como o Hwasong-12 foram incluídos na moratória de Kim, mas esses também não foram testados desde 2017.

    Naquele ano, a Coréia do Norte testou o Hwasong-12 pelo menos seis vezes, alcançando três voos bem-sucedidos e três fracassos.

    Controversamente, em dois desses testes, a Coreia do Norte lançou o míssil sobre a ilha japonesa de Hokkaido, no norte do Japão. No teste de domingo, a Coreia do Norte disse que disparou o míssil em uma trajetória elevada “em consideração à segurança dos países vizinhos”. O teste “confirmou a precisão, segurança e eficácia operacional do sistema de armas do tipo Hwasong-12 produzido”, disse a KCNA.