Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Em último dia de campanha, Milei promete não privatizar saúde e educação na Argentina

    Campanha eleitoral se encerra na sexta-feira (17), às 8h, exatas 48h antes da abertura das urnas para o segundo turno das eleições presidenciais

    Javier Milei liderou as prévias na Argentina com mais de 30% dos votos
    Javier Milei liderou as prévias na Argentina com mais de 30% dos votos Walter Manuel Cortina/Anadolu Agency via Getty Images

    Flávio Ismerimda CNN

    O candidato oposicionista Javier Milei, da coalização La Libertad Avanza, divulgou um vídeo de campanha nesta quinta-feira (16) em que promete não privatizar a educação, a saúde e o futebol caso seja eleito presidente da Argentina no segundo turno das eleições presidenciais que acontecem no domingo (19).

    Segundo o cronograma da Direção Nacional Eleitoral, a campanha termina oficialmente 48h do início da votação, às 8h da sexta-feira (17).

    “Não vamos privatizar a saúde. Não vamos privatizar a educação. Não vamos reformar o Incucai (sistema argentino de transplante de órgão). Não vamos privatizar o futebol. Não vamos permitir o porte irrestrito de armas”, afirmou Milei.

    No vídeo, o candidato da oposição acusa a chapa de seu opositor, o ministro da Economia e representante da coalização peronista Unión por la Patria, Sergio Massa, de disseminar mentiras durante a campanha.

    “Durante todos esses meses, a classe política difundiu uma enorme quantidade de mentiras sobre nós com um só fim: assustar você para manter seus privilégios, porque se você tem medo, você fica paralisado. E se você fica paralisado, nada muda. A única coisa que nós propusemos é abraçar as ideias que fizeram esse país ser grande”, completou.

    Milei também prometeu acabar com a inflação e com a insegurança na Argentina caso seja eleito.

    Na quarta-feira (15), durante um comício em Ezeiza, na província de Buenos Aires, ele pediu o fim da decadência e afirmou que esta é a eleição mais importante dos últimos 100 anos.

    “Estamos diante de um momento importante da história. Neste domingo, teremos a eleição mais importante dos últimos 100 anos. Nessa eleição, jogamos a vida. Temos que tratar de terminar com a decadência e colocar a Argentina de pé novamente”, declarou Milei.

    Veja também: Eleição na Argentina entra na reta final