Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Entenda o que é a Transnístria e por que ela é importante para a Rússia

    Alto general russo afirmou que militares desejam acesso ao território separatista na Modolva para criar uma espécie de corredor terrestre entre a Crimeia e a região do Donbass

    Fachada do Conselho Municipal de Tiraspol, capital da Transnístria, na Moldávia
    Fachada do Conselho Municipal de Tiraspol, capital da Transnístria, na Moldávia Alexander Hassenstein/UEFA/Getty Images

    Da CNN

    A autoproclamada República da Transnístria – que tem sua própria constituição, exército, moeda e bandeira, mas nunca foi reconhecida pela comunidade internacional – pode ser arrastada para a guerra da Rússia na Ucrânia.

    Um alto general russo disse na semana passada que os militares têm como objetivo “controle total” sobre a região oriental de Donbass e o sul da Ucrânia – e obter acesso à Transnístria, território separatista no país vizinho da Modolva.

    A agência de notícias russa TASS citou o comandante interino do Distrito Militar Central da Rússia, o general Rustam Minnekaev, dizendo que o objetivo é criar um corredor terrestre entre Donbass e a Crimeia, que a Rússia anexou em 2014.

    Na segunda-feira (25), houve explosões em Tiráspol, a capital da Transnístria, que o Ministério da Defesa da Ucrânia chamou de uma “provocação planejada” pelos serviços secretos russos.

    Entenda por que a Transnístria é importante para a Rússia:

    Estado separatista

    A Transnístria é uma faixa estreita de terra com cerca de 3.490 quilômetros quadrados, situada entre a Ucrânia e o restante da Modolva – apenas um pouco maior do que Rhode Island, o menor estado dos EUA.

    É o lar de cerca de meio milhão de pessoas, a maioria das quais fala russo.

    História

    A Transnístria declarou independência da antiga República Soviética da Modolva após uma guerra de dois anos (entre 1990 e 1992) que irrompeu durante o colapso da União Soviética.

    Os russos intervieram para apoiar a Transnístria, mas nunca a reconheceram como um estado independente. O conflito entre o governo moldavo e os separatistas terminou com um cessar-fogo em 1992 – mas cerca de 1.500 soldados russos permaneceram na Transnístria desde então.

    Rússia está de olho na Transnístria

    A declaração do Major General Minnekaev, que expôs a estratégia da Rússia para a “segunda fase” da guerra, provocou o alarme imediato das autoridades moldavas, que convocaram o embaixador russo.

    As declarações sobre a Transnístria são “infundadas e contradizem a posição da Federação Russa de apoio à soberania e integridade territorial da República da Modolva, dentro de suas fronteiras internacionalmente reconhecidas”, disse o Ministério Modolvo das Relações Exteriores e da Integração Europeia.

    A entidade acrescentou que durante a reunião com o embaixador russo, as autoridades moldavas reiteraram que o país era um “estado neutro e que este princípio deve ser respeitado por todos os atores internacionais, incluindo a Federação Russa”.

    Papel na guerra

    Alguns analistas militares suspeitam que a Rússia planeja procurar na Transnístria apoio logístico – e aproveitar sua posição estratégica para estabelecer um corredor terrestre ao longo do Mar Negro para capturar a cidade portuária de Odesa.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original