Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Entenda por que os jatos F-16 não devem ser enviados à Ucrânia em breve

    Otan caminha lentamente em sua entrega, entre a necessidade de ajudar uma Ucrânia em inferioridade militar e o temor de interferir na guerra

    Ucrânia pede caçar F-16 para equilibrar poderio militar na guerra
    Ucrânia pede caçar F-16 para equilibrar poderio militar na guerra Ezra Acayam/Getty Images

    Nick Paton Walshda CNN

    A profundidade e a frequência das crateras que marcam a cidade de Orikhiv, na linha de frente, são um exemplo contundente de por que a Ucrânia precisa urgentemente de caças F-16.

    As tropas ucranianas reunidas em torno da cidade têm a tarefa dura de avançar através de campos minados em direção a um inimigo que há muito antecipou seu avanço.

    Mas sua maior desvantagem está em um ruído que raramente ouvem antes que seja tarde demais. Jatos russos disparam bombas de meia tonelada, fora do alcance das defesas aéreas da Ucrânia – e depois devastam as posições ucranianas à vontade.

    Os sistemas de radar ucranianos tentam dar algum aviso, juntamente ao ameaçador rugido de um míssil que se aproxima. Mas o alvo final é muitas vezes obliterado sem maiores chances.

    Então, quando a Ucrânia diz que precisa urgentemente de F-16, é porque as tropas ucranianas estão morrendo diariamente em razão da superioridade aérea russa.

    Na sexta-feira, a Ucrânia saudou a notícia de que os EUA aprovaram a transferência de F-16s quando treinamentos estiverem concluído. Mesmo assim, a Ucrânia provavelmente não receberá jatos até o próximo ano.

    Os críticos do ritmo lento da contraofensiva da Ucrânia parecem crer em uma Ucrânia sobre-humana, capaz de derrubar preceitos militares básicos, com base no colapso das posições russas e nos avanços relâmpagos de Kiev sobre Kharkiv e Kherson no ano passado.

    Eles agora esperam que um exército que quase foi eliminado há 18 meses, agora seja capaz de realizar uma façanha que nenhum exército da OTAN tentaria.

    Os exércitos da OTAN não considerariam enfrentar os campos minados e as defesas ao longo da frente sul de Zaporizhzhia sem blindagem de ponta, equipamento anti-desminagem, superioridade aérea e uma força bem treinada.

    Mas de alguma forma o Ocidente se permitiu o luxo da impaciência com a Ucrânia, que não pode tomar, com um exército de jovens treinados brevemente em novos equipamentos, invadir o território controlado pela Rússia no outono.

    Impacto assustador

    As tropas ucranianas sabem muito bem o impacto que os F-16 podem ter na batalha, já que estão sofrendo com os jatos russos agora.

    Um fuzileiro naval ucraniano na frente sul disse à CNN:  “Eu entendo perfeitamente o que é a aviação com seus equipamentos e poder de fogo. É muito assustador.”

    Ele disse que os russos sentiriam os mesmos efeitos dos F-16. “Vai tornar as coisas muito mais fáceis, pois eles não se sentirão seguros nas suas posições traseiras. Nem todo mundo estará psicologicamente pronto para voltar às trincheiras após um ataque aéreo.”

    Nas cidades atormentadas da Ucrânia, onde as sirenes de ataque aéreo são constantes, os F-16 permitiriam que alguns dos jatos russos que disparam mísseis à distância fossem interceptados ou desafiados.

    Isso interromperia o tipo de terror que Moscou inflige em áreas civis todas as noites.

    Quando você está deitado no Dnipro, ouvindo as sirenes e esperando pelas explosões, qualquer debate sobre se a Ucrânia precisa de mais defesas aéreas parece ridículo.

    O fornecimento de F-16, com treinamento e manutenção que exigem, traria a OTAN ao mais próximo que já esteve de ser um combatente.

    Os jatos precisam que os ucranianos se tornem mestres em sua manutenção da noite para o dia. Haveria o risco de o pessoal da OTAN ser chamado para preencher as lacunas, ter de ajudar a consertar os aviões dentro do território da OTAN. E assim o ritmo diminuiu.

    Quer haja ucranianos treinados, quer sejam os outros obstáculos burocráticos, a vontade claramente ainda não existe entre os estados da OTAN para que isso aconteça. Eles aprenderam que podem fazer as coisas rapidamente se quiserem – eles fizeram isso com os tanques Leopard.

    Pode ter sido feito o cálculo de que o risco de a OTAN ser arrastada para a guerra é alto demais para justificar uma movimentação mais rápida com os F-16 — que é mais fácil apostar em a Ucrânia ter sucesso em sua contraofensiva com uma mão amarrada nas costas.

    Nos porões de Orikhiv, onde as tropas ucranianas se sentam e esperam jatos e mísseis, é uma aposta que parece insensível e imparcial.

    Veja também: Ucrânia explode ponte da Rússia; confira o momento do ataque

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original