EUA declaram formalmente que militares russos cometeram crimes de guerra na Ucrânia

Segundo Antony Blinken, secretário de Estado, avaliação foi feita a partir de uma "análise cuidadosa das informações disponíveis de fontes públicas e de inteligência"

Jennifer Hanslerda CNN

Ouvir notícia

O governo dos Estados Unidos declarou formalmente que membros das forças armadas russas cometeram crimes de guerra na Ucrânia, disse o secretário de Estado Antony Blinken em comunicado nesta quarta-feira (23).

A declaração oficial dos EUA de que Moscou cometeu as violações das leis de conflito ocorre depois que Blinken, o presidente Joe Biden e a vice-secretária de Estado Wendy Sherman disseram que se tratava de uma opinião pessoal que crimes de guerra ocorreram.

“Hoje, posso anunciar que, com base nas informações atualmente disponíveis, o governo dos EUA avalia que membros das forças russas cometeram crimes de guerra na Ucrânia”, disse Blinken.

“Nossa avaliação é baseada em uma análise cuidadosa das informações disponíveis de fontes públicas e de inteligência”, disse ele.

“Como em qualquer suposto crime, um tribunal com jurisdição sobre o crime é responsável por determinar a culpa criminal em casos específicos”, continuou Blinken.

“O governo dos EUA continuará a rastrear relatos de crimes de guerra e compartilhará informações que coletamos com aliados, parceiros, instituições e organizações internacionais, conforme apropriado. Estamos comprometidos em buscar a responsabilização usando todas as ferramentas disponíveis, incluindo processos criminais”.

Segundo a embaixadora para Justiça Criminal, Bess Van Schaak, o Departamento de Guerra dos Estados Unidos está reunindo evidências de crimes de guerra, como ataques a civis e corredores humanitários. “Nossa intenção é compartilhar as evidências e documentos com órgãos aptos para julgar esses crimes cometidos pela Rússia”, disse, explicando que a princípio não é possível usar tribunais americanos para julgar esses crimes.

“Estamos apoiando procuradores da Ucrânia, além dos civis no empenho em registrar essas violações”. Van Schaak falou da importância dos vídeos que têm sido gravados nas cidades ucranianas: “não queremos que esses registros se percam pois são importantes para buscarmos a responsabilização futura.”

Questionada se é possível que a Rússia, titular do Conselho de Segurança da ONU, sofra alguma punição, Van Schaak explicou: “estamos considerando todas as opções disponíveis, temos as cortes e procuradores da Ucrânia, outras agências e escritórios no mundo para buscar a custódia de criminosos”, ressaltando que o Tribunal Penal Internacional abriu investigação sobre os supostos crimes de guerra.

“Estamos buscando todas as formas de punir os responsáveis, mas quem determinará se o culpado são os comandantes ou quem aperta o gatilho serão os tribunais”, detalhou a embaixadora, garantindo que haverá responsabilização dos criminosos de guerra.

 

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN