Ficar no Afeganistão faria guerra durar mais 20 anos, diz secretário dos EUA

Antony Blinken defendeu a posição do governo de Joe Biden de retirar as tropas norte-americanas do território afegão e disse que "algumas pessoas não entendem o acordo fechado"

Secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, defendeu que se as tropas norte-americanas não tivessem saído do Afeganistão, a guerra no país teria continuado
Secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, defendeu que se as tropas norte-americanas não tivessem saído do Afeganistão, a guerra no país teria continuado Reprodução/Reuters

Douglas Portoda CNN*

em São Paulo

Ouvir notícia

O secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, afirmou nesta segunda-feira (13), durante depoimento no Congresso norte-americano, que se não houvesse a retirada das tropas do país do Afeganistão, teria recomeçado a guerra no país por até mais vinte anos.

“[Se os Estados Unidos tivessem continuado no Afeganistão] teriam reatado a guerra no Afeganistão por mais cinco, dez ou vinte anos”, disse Blinken.

Os Estados Unidos concluíram a evacuação no dia 30 de agosto, após mais de 20 anos de ocupação em território afegão.

O fato aconteceu um dia antes do prazo estabelecido pelo Talibã, de 31 de agosto, após tomar o poder no país. O grupo islâmico disse que não iria estender a data final.

“Reconheço que muitas pessoas não entendem isso, não sabem o acordo que foi alcançado e a escolha que o presidente Joe Biden enfrentou para 1º de maio”, continuou o secretário.

O depoimento de Blinken acontece enquanto Biden enfrenta uma pressão por impeachment da oposição republicana por realizar a evacuação das tropas.

Biden já havia dito, durante coletiva em 31 de agosto, que se recusaria “a abrir outra década de guerra no Afeganistão”.

Blinken reafirmou que o plano de retirada das forças norte-americanas começou ainda no governo do ex-presidente Donald Trump. E que se Biden não tivesse cumprindo os compromissos assumidos anteriormente, os “ataques teriam recomeçado”.

Trump havia afirmado durante uma homenagem aos policiais de Nova York, nas celebrações do 11 de Setembro, que estava triste pela decisão tomada pelo governo Biden de retirar as tropas após o avanço do Talibã.

Segundo o ex-presidente, ele havia conversado com o chefe do grupo islâmico, Mullah Abdul Ghani Baradar, e com a medida, disse que “nós não perdemos nenhum soldado no Afeganistão por 16 meses por minha causa”.

Em sua campanha presidencial em 2016, Trump havia prometido trazer os soldados norte-americanos para casa.

Em um acordo firmado por seu governo, em fevereiro de 2020, fez o caminho para a retirada total dos Estados Unidos em troca de garantias do Talibã de que reduziria a violência e cortaria os laços com grupos terroristas.

O prazo seria maio de 2021 e ficou a cargo de seu sucessor, Biden, de cumprir a promessa.

(Com informações da CNN)*

 

 

Mais Recentes da CNN