Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Governador acusa Rússia de usar munições de fragmentação em estação de Kramatorsk

    Pavlo Kyrylenko publicou uma fotografia mostrando vários corpos ao lado de pilhas de malas, mas não compartilhou as evidências da acusação

    Malas de pessoas em meio a marcas de sangue após ataque a uma estação de trem em Kramatorsk, na Ucrânia
    Malas de pessoas em meio a marcas de sangue após ataque a uma estação de trem em Kramatorsk, na Ucrânia Ministério da Defesa da Ucrânia/via REUTERS

    Pavel PolityukMax Hunderda Reuters

    O governador da região de Donetsk, no leste da Ucrânia, acusou nesta sexta-feira (8) as forças russas de disparar munições de fragmentação em uma estação ferroviária na cidade de Kramatorsk em um ataque que matou pelo menos 30 pessoas.

    O governador Pavlo Kyrylenko publicou uma fotografia online mostrando vários corpos no chão ao lado de pilhas de malas e outras bagagens, mas não compartilhou quais evidências ele tinha do tipo de arma usada para o ataque.

    A Reuters não pôde verificar imediatamente sua alegação.

    “Se no início eles visavam exclusivamente trilhos ferroviários, agora não são apenas trilhos, mas também disparam um míssil contendo munições de fragmentação destinadas a pessoas. Isso é uma confirmação absoluta de que este (ataque) foi planejado contra civis”, disse Kyrylenko.

    Separatistas da República Popular de Donetsk (DPR) acusam as forças ucranianas pelo ataque à estação, citando que os destroços encontrados nos arredores são de munição usada somente pela Ucrânia.

    “Destroços do foguete Tochka-U caíram nas imediações da estação, este sistema de mísseis soviético obsoleto não está em serviço com o DPR, LPR e a Federação Russa, sendo usado ativamente por militantes ucranianos”, diz um comunicado separatista em seu canal no Telegram.

    O Ministério da Defesa russo foi citado pela agência de notícias estatal RIA confirmando que os mísseis que teriam atingido a estação são usados ​​apenas por militares da Ucrânia e que as forças armadas da Rússia não tinham alvos designados em Kramatorsk na sexta-feira.