Guterres: Tropas que entram num país sem consentimento não são “forças de paz”

Secretário-geral da ONU disse que continuará prestando apoio à Ucrânia e criticou ações da Rússia

O chefe da ONU, António Guterres, discursou na abertura da COP26 nesta segunda-feira (1º)
O chefe da ONU, António Guterres, discursou na abertura da COP26 nesta segunda-feira (1º) Foto: COP26

Michelle Nicholsda Reuters

Ouvir notícia

O secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, disse nesta terça-feira (22) que está “preocupado com a perversão do conceito de manutenção da paz” depois que Moscou ordenou que tropas russas entrassem no Leste da Ucrânia para “manter a paz”.

“Quando tropas de um país entram no território de outro país sem o seu consentimento, elas não são forças de paz imparciais. Elas não são nada de forças de paz”, disse Guterres a repórteres.

“Continuamos a apoiar o povo da Ucrânia por meio de nossas operações humanitárias e esforços de direitos humanos neste momento crítico. Apelo a um cessar-fogo imediato e ao restabelecimento do Estado de direito. Precisamos de contenção e razão, precisamos de desescalada agora”, acrescentou o secretário-geral.

Os Estados Unidos classificaram a justificativa da Rússia de enviar tropas como “mantenedoras da paz” como “absurdo”.

Mais cedo, Putin disse que usaria as forças russas “se necessário”, mas disse que elas não devem ir imediatamente aos territórios das autoproclamadas Repúblicas de Donetsk e Luhansk, as quais Vladimir Putin reconheceu independência na segunda-feira (21).

Entenda o conflito

Após meses de escalada militar e intemperança na fronteira com a Ucrânia, a Rússia está aumentando a pressão sobre seu ex-vizinho soviético, ameaçando desestabilizar a Europa e envolver os Estados Unidos.

A Rússia vem reforçando seu controle militar em torno da Ucrânia desde o ano passado, acumulando dezenas de milhares de tropas, equipamentos e artilharia nas portas do país. A mobilização provocou alertas de oficiais de inteligência dos EUA de que uma invasão russa pode ser iminente.

Nas últimas semanas, os esforços diplomáticos para acalmar as tensões não chegaram a uma conclusão. Foi reconhecida pelo presidente russo Vladimir Putin, na segunda-feira (21), a independência de Donetsk e Luhansk, duas áreas separatistas ucranianas.

Mapa da Ucrânia
Mapa da Ucrânia com destaque para as regiões de Donetsk e Luhansk / Foto: Reprodução/CNN Brasil

A escalada no conflito de anos entre a Rússia e a Ucrânia desencadeou a maior crise de segurança no continente desde a Guerra Fria, levantando o espectro de um confronto perigoso entre as potências ocidentais e Moscou.

(Com informações de Sarah Marsh e Madeline Chambers, da Reuters, e de Eliza Mackintosh, da CNN)

Mais Recentes da CNN