Na ONU, Estados Unidos dizem que envio de tropas russas à Ucrânia é “absurdo”

Chefe de assuntos políticos do órgão disse que risco de conflito "é real e precisa ser evitado"

Linda Thomas-Greenfield, embaixadora dos Estados Unidos
Linda Thomas-Greenfield, embaixadora dos Estados Unidos Reuters

Jennifer HanslerKylie Atwoodda CNN

Ouvir notícia

A ordem da Rússia de enviar “forças de paz” ​​para o leste da Ucrânia é um “absurdo”, disse Linda Thomas-Greenfield, embaixadora dos Estados Unidos na Organização das Nações Unidas, nesta segunda-feira (21), acrescentando que o reconhecimento de Moscou das regiões separatistas faz parte da sua tentativa de criar pretexto para uma nova invasão.

Em reunião de emergência do Conselho de Segurança da ONU sobre a Ucrânia, Greenfield disse que as consequências das ações da Rússia serão terríveis para a Ucrânia, para a Europa e para o mundo e que o número de vítimas aumentará significativamente se Moscou decidir invadir.

A embaixadora americana acrescentou que as ações de Putin “colocaram diante do mundo uma escolha”. “Devemos enfrentar o momento e não desviar o olhar. A história nos mostra que ignorar tal hostilidade será um caminho muito mais caro”, disse ela.

 

Thomas-Greenfield disse que não há necessidade de adivinhar as motivações de Putin, ressaltando que ele “fez uma série de falsas alegações ultrajantes sobre a Ucrânia, visando criar um pretexto para a guerra, e imediatamente depois anunciou que as tropas russas estão entrando em Donbass”.

Ela disse que sua afirmação de que a Ucrânia está buscando armas nucleares do Ocidente é falsa, acrescentando que os EUA e seus aliados “não têm intenção de fornecer armas nucleares à Ucrânia e a Ucrânia não as quer”.

“Em essência, Putin quer que o mundo viaje de volta no tempo, antes das Nações Unidas, para uma época em que impérios governavam o mundo. Mas o resto do mundo avançou. Não estamos em 1919. É 2022. As Nações Unidas foram fundadas com base no princípio da descolonização, não da recolonização, e acreditamos que a grande maioria dos estados-membros da ONU e o Conselho de Segurança estão comprometidos em avançar e não voltar no tempo”. afirmou.

Para Thomas-Greenfield, a Rússia tomou as ações exatas que os EUA previram e acreditam que Putin não vai parar agora.

“A sequência de eventos que o secretário (Antony) Blinken expôs para este conselho na última quinta-feira (17) parece estar ocorrendo exatamente como previsto. Hoje, Putin rasgou o acordo de Minsk em pedaços”, disse ela.

A Organização das Nações Unidas lamentou a ordem da Rússia de enviar tropas para o leste da Ucrânia, disse a chefe de assuntos políticos do órgão, alertando que o risco de “grande conflito” é real e precisa ser evitado.

Rosemary DiCarlo reiterou que a ONU está comprometida com a soberania, independência e integridade territorial da Ucrânia, dentro de fronteiras internacionalmente reconhecidas.

Mais Recentes da CNN