Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Investigação de ataque na Dinamarca, chuvas em Alagoas e mais de 4 de julho

    Polícia dinamarquesa afirmou, nesta segunda-feira (4), que não há indícios que o ataque a tiros que deixou três mortos em um shopping do país tenha sido um “ato de terrorismo“

    Policiais se reúnem em frente ao shopping Fields
    Policiais se reúnem em frente ao shopping Fields Ritzau Scanpix/Olafur Steinar Gestsson/Reuters

    Da CNN Brasil

    Ouvir notícia

    A investigação da polícia dinamarquesa, que afirma que não há indícios que o ataque a tiros que deixou três mortos em um shopping do país tenha sido um “ato de terrorismo“, e as chuvas em Alagoas, que já mataram ao menos duas pessoas, estão entre os destaques desta segunda-feira (4).

    Ataque em shopping da Dinamarca não foi ato de terrorismo, afirma polícia

    A polícia dinamarquesa afirmou, nesta segunda-feira (4), que não há indícios que o ataque a tiros que deixou três mortos em um shopping do país tenha sido um “ato de terrorismo“.

    Segundo o inspetor-chefe Soren Thomassen, o suspeito parece ter agido sozinho e tinha um histórico de problemas de saúde mental.

    O ataque ocorreu no domingo (3), em um shopping de Copenhague, capital da Dinamarca, e deixou três mortos, dois adolescentes de 17 anos e um cidadão russo de 47 anos. Quatro pessoas estão em estado grave, mas com quadro clínico estável, informou a polícia.

    Duas pessoas morrem em decorrência de fortes chuvas em Alagoas

    Duas pessoas morreram em Alagoas, até este domingo (3), em decorrência das fortes chuvas que atingem o estado, nas cidades de São Miguel dos Campos e Coruripe. Outras 39.285 mil estão desabrigadas ou desalojadas.

    Os conceitos de desabrigado e desalojado são diferentes. Desabrigado é aquele que perdeu a casa e está em um abrigo público. O desalojado teve de deixar sua casa –não necessariamente a perdeu– e não está em abrigos, mas sim na casa de um parente, amigo ou conhecido, por exemplo.

    Até o momento, 51 municípios estão em situação de emergência. Outros quatro devem ser incluídos em um decreto que deve ser publicado em breve: Feira Grande, Porto de Pedras, Colônia Leopoldina e Dois Riachos.

    FAB intercepta avião e PF apreende mais de 600 kg de pasta base de cocaína

    A Força Aérea Brasileira (FAB) interceptou, neste domingo (3), um avião de pequeno porte que entrou no espaço aéreo brasileiro sem autorização, no Mato Grosso do Sul, e a Polícia Federal (PF) apreendeu 663 quilos de pasta base de cocaína, no interior de São Paulo.

    A ação fez parte da Operação Ostium, que atua na fronteira.

    Duas aeronaves A-29 Super Tucano foram destinadas para a ação. Os oficiais interrogaram o piloto do avião, mas não obtiveram resposta.

    Governo do RJ usará Procon para obrigar posto a reduzir preço da gasolina

    O governo do Rio de Janeiro vai se valer do Código de Defesa do Consumidor para obrigar os postos de combustíveis a reduzirem o preço do litro da gasolina e do etanol a partir desta segunda-feira (4), informou a autarquia de Proteção ao Consumidor do Rio de Janeiro (Procon-RJ) ao Estadão/Broadcast. As multas, baseadas no porte da empresa e da infração, podem chegar a R$ 12 milhões, segundo o órgão.

    A partir desta segunda será iniciada a operação “Lupa na bomba”, anunciada na última sexta-feira pelo governo do estado, que na mesma data reduziu o ICMS de 32% para 18%, seguindo a Lei Suplementar 194, sancionada na semana passada. O governo do Rio prevê queda de pelo menos R$ 1,19 no litro da gasolina e de R$ 0,79 no litro de etanol.

    De acordo com o Procon, o posto que não reduzir o preço dos combustíveis vai ser autuado e pode ser multado, baseado no Código de Consumidor. Após a autuação, será aberto um processo administrativo que pode gerar uma multa, cujo valor vai depender do tamanho da empresa e da infração cometida. A multa máxima que pode ser aplicada pelo órgão é de R$ 12 milhões.

    Comitê que investiga invasão do Capitólio eleva pressão sobre Trump nos EUA

    O comitê do Congresso norte-americano que investiga a invasão do Capitólio, nos Estados Unidos, em 6 de janeiro de 2021, colheu importantes indícios da responsabilidade do então presidente, Donald Trump, nos tumultos que terminaram com pelo menos cinco mortes e dezenas de detidos.

    Trump rejeita as alegações da comissão e se prepara para enfrentar um teste de popularidade nas eleições que vão renovar parte do Congresso em 8 de novembro. Depois de uma série de audiências públicas realizadas em junho, o comitê interrompeu o trabalho para as comemorações do feriado do 4 de Julho, mas deve retomar as atividades na semana que vem, e a expectativa é que um relatório com as conclusões finais seja apresentado em setembro.

    Neste episódio do E Tem Mais, Muriel Porfiro apresenta um panorama das investigações sobre a invasão do Capitólio. Para descrever os possíveis impactos políticos do caso, participam deste episódio a correspondente da CNN nos EUA Mariana Janjácomo e o professor de relações internacionais Carlos Gustavo Poggio, da Faap.

    Mais Recentes da CNN