Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Javier Milei toma posse como presidente da Argentina

    Presidente eleito recebeu a faixa e o bastão presidencial das mãos do ex-presidente, Alberto Fernández

    Da CNN

    Javier Milei foi empossado neste domingo (10) no Congresso Nacional como presidente da Argentina, minutos antes de sua vice-presidente, Victoria Villarruel, e de seus ministros.

    O presidente eleito recebeu a faixa e o bastão presidencial das mãos do ex-presidente, Alberto Fernández.

    A cerimônia foi presidida por seu antecessor Alberto Fernández e pela vice-presidente Cristina Fernández, antes do congresso nacional em Buenos Aires.

    Após ser empossado como presidente da Argentina, Javier Milei deixou o Congresso e dirigiu-se à escadaria, de onde falou para uma multidão que se reunia para participar da cerimônia de inauguração.

    Quebra de protocolo

    Assim que assumiu a presidência da Argentina neste domingo (10). Milei quebrou o protocolo de posse e discursou das escadarias do Congresso, invés de o fazer no interior da Casa Legislativa.

    Dirigindo-se aos seus apoiadores em frente ao Congresso, Milei disse que este é o dia no qual foram enterradas décadas de fracasso e disputas que arruinaram o país.

    “Hoje começa uma nova era na Argentina. Uma era de paz e prosperidade. Uma era de crescimento e desenvolvimento. Uma era de liberdade e progresso”, disse Milei durante o discurso de posse.

    Discurso

    Durante o primeiro discurso de Javier Milei como presidente, o líder libertário voltou a passar em revista algumas das políticas que irá aplicar a partir desta segunda-feira para “reorganizar a economia”.

    “Não há alternativa ao ajuste, não há alternativa ao choque”, disse Milei depois de garantir que na Argentina “não há dinheiro”.

    “Infelizmente, isto terá impacto na atividade econômica, na pobreza e nos salários”, admitiu. Ele também reconheceu que se iniciará um cenário de estagflação, embora tenha dito que “não é tão diferente do que vivemos hoje”.

    “A única possibilidade possível é o ajuste; um ajuste ordenado”, acrescentou.

    Primeiras medidas

    Poucas horas depois de vencer com mais de 11 pontos percentuais de vantagem sobre o candidato governista Sergio Massa, o presidente eleito da Argentina, Javier Milei, começou a dar suas primeiras definições sobre quais serão as medidas de seu governo a partir de 10 de dezembro.

    Milei já havia antecipado isso em seu discurso na noite do dia 19 de novembro. “Não há espaço para o gradualismo, para a frouxidão, nem para meias medidas. Se não avançarmos rapidamente estaremos caminhando para a pior crise de toda a nossa história”, alertou após os resultados que lhe deram a vitória.

    Em declarações aos meios de comunicação locais na última segunda-feira (4), o libertário começou a dar suas primeiras definições sobre a possível privatização de empresas e meios de comunicação públicos, um sistema de “vouchers” na saúde e na educação, ações cambiais, taxas e também levantou os primeiros nomes da sua equipe.

    Gabinete e Supremo Tribunal de Justiça

    Nas primeiras declarações à mídia, Milei também deu algumas definições e indicações sobre quem o acompanhará em sua gestão.

    Entre os nomes já anunciados para assumir ministérios estão:

    • Ministério da Defesa: Luis Petri
    • Ministério do Capital Humano: Sandra Pettovello
    • Ministério da Economia: Luis Caputo
    • Ministério da Infraestrutura: Guillermo Ferraro
    • Ministério do Interior: Guillermo Francos
    • Ministério da Justiça: Mariano Cúneo Libarona
    • Ministério das Relações Exteriores: Diana Mondino
    • Ministério da Segurança: Patricia Bullrich
    • Ministério da Saúde: Mario Russo
    • Ministério do Trabalho: Gustavo Morón
    • Chefe de gabinete: Nicolás Posse

    *Em atualização. Com informações de João Nakamura.