Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Joe Biden visitará Israel nesta quarta-feira (18), diz secretário de Estado

    Antony Blinken dez o anúncio no final de uma reunião de mais de sete horas com o gabinete de guerra israelense

    Da CNN

    O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, visitará Israel nesta quarta-feira (18), anunciou o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken.

    Blinken anunciou a visita no final de uma reunião de mais de sete horas com o gabinete de guerra de Israel. Após isso, ele iniciou a viagem para fora de Israel.

    Veja também — CNN acompanha Exército de Israel na fronteira com o Líbano

    A visita do secretário de Estado ao país faz parte da sua viagem por sete países do Oriente Médio, enquanto Israel parece preparado para uma invasão terrestre contra a Faixa de Gaza, e o conflito ameaça se espalhar para outras partes da região.

    Durante a viagem, Biden “ouvirá de Israel como [o país] conduzirá as suas operações de uma forma que minimize as vítimas civis e permita que a assistência humanitária chegue aos civis em Gaza de uma forma que não beneficie o Hamas”, pontuou Blinken.

    O presidente norte-americano também deve “reafirmar a solidariedade dos Estados Unidos com Israel e o nosso firme compromisso com a sua segurança”.

    “O presidente Biden deixará claro, novamente, como tem feito inequivocamente desde o massacre de mais de 1.400 pessoas pelo Hamas, incluindo pelo menos 30 americanos, que Israel tem o direito e, na verdade, o dever de defender o seu povo do Hamas e de outros terroristas e de prevenir futuras ataques”, destacou Blinken.

    O secretário pontuou também que o chefe de Estado ouvirá o que Israel precisa para defender seu povo, enquanto “continuamos a trabalhar com o Congresso para atender a essas necessidades”.

    “Biden ressaltará a nossa mensagem cristalina a qualquer ator, estatal ou não-estatal, que tente aproveitar esta crise para atacar Israel: não o faça”, advertiu Blinken, observando as medidas de dissuasão que os EUA tomaram até o momento.

    Assim, ele “continuará coordenando estreitamente com os nossos parceiros israelenses para garantir a libertação dos reféns feitos pelo Hamas, incluindo homens, mulheres, crianças pequenas, sobreviventes do Holocausto e cidadãos americanos”, complementou.

    “O presidente Biden receberá um resumo abrangente sobre os objetivos e a estratégia de guerra de Israel”, afirmou o principal diplomata dos EUA.

    EUA e Israel concordaram em fazer plano humanitário, diz Blinken

    O secretário de Estado dos EUA também informou que os países “concordaram em desenvolver um plano que permitirá que a ajuda humanitária das nações doadoras e das organizações multilaterais chegue aos civis em Gaza”.

    “É fundamental que a ajuda comece a chegar em Gaza o mais rapidamente possível”, destacou.

    O principal diplomata americano observou que o país compartilha “a preocupação de Israel de que o Hamas possa confiscar ou destruir o que entrará em Gaza ou impedir a assistência de chegar às pessoas que necessitam”.

    “Se o Hamas impedir de alguma forma que a assistência humanitária chegue aos civis, inclusive apreendendo a própria ajuda, seremos os primeiros a condenar [a ação]. E trabalharemos para evitar que isso aconteça novamente”, destacou.

    O secretário afirmou ainda que o acordo para o desenvolvimento do plano foi feito a pedido dos EUA, e que eles “saúdam o compromisso do governo de Israel em trabalhar neste plano”.