Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Mais da metade dos prisioneiros palestinos libertados nunca foram acusados

    Em quatro dias de trégua, 150 pessoas foram soltas de presídios israelenses na Cisjordânia

    A prisioneira palestina libertada Marah Bkeer reage com a família perto de sua casa depois de acordo de troca de prisioneiros por reféns entre o Hamas e Israel, em Jerusalém
    A prisioneira palestina libertada Marah Bkeer reage com a família perto de sua casa depois de acordo de troca de prisioneiros por reféns entre o Hamas e Israel, em Jerusalém 24/11/2023REUTERS/Latifeh Abdellatif

    Abeer Salman, Manveena Surida CNN

    Israel libertou, até o momento, 150 palestinos, que estavam detidos em prisões israelenses na Cisjordânia. Como parte do acordo, o Hamas soltou 69 reféns, que estavam em Gaza desde o começo da guerra.

    De todos os prisioneiros palestinos libertados até agora, 98 foram detidos sem acusação formal. Pelo menos, 119 eram adolescentes e 31 mulheres.

    De acordo com informações divulgadas pelo Clube de Prisioneiros Palestinos e pelas autoridades prisionais israelenses, 33 prisioneiros foram libertados nesta segunda-feira (27), que incluiu 30 adolescentes com 18 anos ou menos. Dos 30 libertados, 29 são meninos e um é uma jovem de 15 anos.

    Sobre as prisões

    Israel muitas vezes coloca palestinos sob detenção administrativa, uma prática amplamente criticada – em que detido não tem qualquer conhecimento das acusações, e seu caso não está sujeito a nenhum processo legal.

    No início de outubro, mais de 1.200 palestinos estavam em detenção administrativa. O número mais alto em mais de três décadas, de acordo com grupos israelenses e palestinos de direitos humanos.

    As detenções aumentaram dramaticamente desde os ataques do Hamas em 7 de outubro.

    Mais de 2 mil prisões foram registradas na Cisjordânia e em Jerusalém somente em outubro, segundo informações da Sociedade de Prisioneiros Palestinos, uma organização não governamental dedicada a abordar as preocupações dos detidos palestinos nas prisões israelenses. Esse número inclui 145 crianças e 55 mulheres.

    Este conteúdo foi criado originalmente em Internacional.

    versão original