Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Mais de 3.000 pessoas fugiram por corredores humanitários nesta quinta, diz Ucrânia

    Governo ucraniano acusa tropas russas de não permitirem o deslocamento de civis na cidade portuária de Mariupol

    Civis tentam deixar Mariupol, uma das cidades mais atingidas pela Rússia na Ucrânia
    Civis tentam deixar Mariupol, uma das cidades mais atingidas pela Rússia na Ucrânia Foto: Anadolu Agency via Getty Images

    David Ljunggrenda Reuters

    Ouvir notícia

    De acordo com autoridades do alto escalão do governo da Ucrânia, um total de 3.343 pessoas fugiram de cidades ucranianas através de corredores humanitários apenas nesta quinta-feira (24). O número é menor que o registrado no dia anterior, quando 4.454 ucranianos conseguiram escapar.

    A vice-primeira-ministra da Ucrânia, Iryna Vereshchuk, disse em uma publicação online que 2.717 pessoas conseguiram deixar a cidade de Mariupol, no leste do país, que está cercada por tropas russas e recebe constantes ataques.

    Vereshchuk ainda acusou os russos de bloquearem comboios de ajuda humanitária na cidade nos últimos três dias.

    Nesta quinta-feira, a vice-primeira-ministra ucraniana confirmou que foi alcançado um acordo sobre o estabelecimento de sete corredores humanitários para evacuar civis de cidades e vilas ucranianas.

    Porém, segundo ela, os civis que tentariam deixar a sitiada cidade de Mariupol teriam que encontrar transporte na vizinha Berdyansk — deixando claro que a Rússia não permitiu que um corredor seguro fosse criado para ou do centro da cidade portuária.

    O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, disse que a cidade “está sendo reduzida a cinzas”, mas que “sobreviverá.” Um oficial ucraniano afirmou que a cidade segue sob pesado bombardeio russo: “bombas caem a cada 10 minutos.”

    Crise de deslocamento forçado

    Cerca de 3,5 milhões de pessoas fugiram da Ucrânia desde o início da invasão russa em 24 de fevereiro, informou a agência das Nações Unidas para refugiados, o Acnur. O número exato divulgado pela organização foi de 3,528,346.

    Deste total, mais de 2 milhões teriam se deslocado para a Polônia, país destino da maioria dos refugiados da guerra.

    A quantidade de civis deslocados em decorrência da guerra é ainda maior, e se somam aos que deixaram o país. A agência de migração da ONU disse que quase 6,5 milhões de pessoas foram deslocadas dentro da Ucrânia como resultado direto da guerra, superando suas piores previsões.

    Mais Recentes da CNN