Mais de 3,5 milhões de pessoas já deixaram a Ucrânia desde início da guerra

Número se soma às 6,5 milhões de pessoas deslocadas dentro da Ucrânia em decorrência do conflito; estimativas são feitas por agências da ONU

Reuters

Ouvir notícia

Cerca de 3,5 milhões de pessoas fugiram da Ucrânia desde o início da invasão russa em 24 de fevereiro, informou a agência nas Nações Unidas para refugiados, o Acnur, nesta terça-feira (22). O número exato divulgado pela organização foi de 3,528,346.

Deste total, mais de 2 milhões teriam se deslocado para a Polônia, país destino da maioria dos refugiados da guerra.

A quantidade de civis deslocados em decorrência da guerra é ainda maior, e se somam aos que deixaram o país. A agência de migração da ONU disse que quase 6,5 milhões de pessoas foram deslocadas dentro da Ucrânia como resultado direto da guerra, superando suas piores previsões.

“A escala do sofrimento humano e do deslocamento forçado devido à guerra excede em muito qualquer planejamento de cenário de pior caso”, disse António Vitorino, diretor-geral da Organização Internacional para as Migrações (OIM).

Ele disse que as equipes da OIM estão prestando ajuda a milhares de pessoas com alimentos e cobertores, mas as que estão em áreas severamente afetadas continuam fora de alcance.

Muitos dos deslocados são particularmente vulneráveis, incluindo mulheres grávidas, idosos e pessoas com doenças crônicas, disse a OIM. A agência reiterou um apelo à cessação das hostilidades e à criação de corredores humanitários para permitir a fuga de civis.

Na segunda (21), o Banco Central polonês anunciou que, em acordo com o Banco Nacional da Ucrânia, iria permitir que todos os refugiados ucranianos convertessem até 10 mil hryvnias — cerca de R$ 1683 — para a moeda polonesa zloty.

A medida passa a valer a partir da sexta-feira (25) e tem como contexto o fato de muitos refugiados não conseguirem utilizar de suas economias fora do país.

Veja imagens da invasão da Ucrânia pela Rússia

Mais Recentes da CNN