Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Mais de 5 mil estão desaparecidos após enchentes na República Democrática do Congo, dizem autoridades

    Número oficial de mortos superou os 400, segundo autoridades locais; país enfrenta problemas para atender às vítimas das fortes chuvas, que precisam receber alimentos 

    Região leste do país sofreu grande destruição devido às chuvas
    Região leste do país sofreu grande destruição devido às chuvas Augustin Wamenya/Anadolu Agency via Getty Images

    Da Reuters

    Mais de 5.500 pessoas ainda estão desaparecidas em uma área no leste da República Democrática do Congo, onde enchentes mataram mais de 400 pessoas na última semana, disse uma autoridade local nesta terça-feira (9), enquanto sobreviventes abalados esperavam por ajuda alimentar.

    Dezenas de corpos foram recuperados dos vilarejos de Bushushu e Nyamukubi no território de Kalehe, na província de Kivu do Sul, desde que chuvas torrenciais causaram deslizamentos de terra e inundações repentinas na quinta-feira, destruindo edifícios e devastando plantações.

    Valas comuns foram cavadas no fim de semana para colocar os mortos, muitos dos quais mulheres e crianças, gerando reclamações de alguns grupos da sociedade civil que disseram que os enterros eram indignos.

    Trabalhadores da Cruz Vermelha soaram o alarme sobre a falta de suprimentos e equipamentos para ajudar mais de 8.800 residentes afetados, muitos desabrigados e traumatizados após um dos desastres naturais mais letais da história recente do Congo.

    O administrador de Kalehe, Thomas Bakenga Zirimwabagabo, disse nesta terça-feira que 411 corpos foram encontrados até agora e que pelo menos 5.525 pessoas ainda estão desaparecidas.

    Uma delegação do governo chegou à região na noite de segunda-feira e deveria levar comida e barracas para os sobreviventes. Muitos estão morando com parentes ou em prédios públicos, levando à superlotação.

    As inundações são o mais recente grande desastre na África, destacando a vulnerabilidade dos países com planejamento urbano deficiente e infraestrutura fraca aos impactos das mudanças climáticas.

    (Reportagem de Djaffar Sabiti)