Meghan, Duquesa de Sussex, pede desculpas por enganar tribunal do Reino Unido

Em processo contra divulgação de carta enviada a seu pai, Markle deixou de incluir e-mail trocados com assessor

Meghan Markle no palco do Global Citizen Live 2021 no Central Park em Nova York
Meghan Markle no palco do Global Citizen Live 2021 no Central Park em Nova York Reuters

Jack Guyda CNN

Ouvir notícia

Meghan Markle, Duquesa de Sussex , pediu desculpas a um tribunal do Reino Unido por esquecer e-mails que trocou com um assessor que estava em contato com os autores de uma biografia não autorizada sobre ela e o Príncipe Harry, segundo a agência estatal do país. Ela acrescentou que não tinha “nenhuma intenção de enganar” o judiciário.

Os Sussex já negaram várias vezes ter colaborado com Omid Scobie e Carolyn Durand em seu livro “Finding Freedom”, mas Meghan se desculpou em um depoimento tornado público nesta quarta-feira (10) depois que um ex-assessor disse ao tribunal que forneceu informações aos autores.

O pedido de desculpas da duquesa veio como parte de seu litígio contra a Associated Newspapers Limited (ANL), editora do jornal The Mail on Sunday do Reino Unido, que reproduziu partes de uma carta privada que ela enviou a seu pai Thomas Markle em agosto de 2018.

Em fevereiro, Meghan ganhou sua reivindicação de privacidade contra a editora ANL, e o juiz determinou que “as divulgações foram excessivas e, portanto, ilegais”, e que não haveria “nenhuma perspectiva de que uma decisão diferente fosse alcançada após um julgamento”.

No entanto, a ANL contesta a decisão e diz que deve haver um julgamento.

Em seu próprio depoimento, Meghan e o ex-secretário de comunicações de Harry, Jason Knauf, disseram que o livro foi “discutido rotineiramente” e “discutido diretamente com a duquesa várias vezes pessoalmente e por e-mail”, de acordo com PA.

Knauf disse que Meghan forneceu vários assuntos para compartilhar com os autores em uma potencial reunião, que ele também discutiu com Harry por e-mail.

O ex-assessor disse que Harry disse a ele: “Concordo totalmente que temos que ser capazes de dizer que não temos nada a ver com isso”, por e-mail. “Da mesma forma, fornecer o contexto certo ajudaria a divulgar algumas verdades”.

Em seu próprio depoimento, Meghan se desculpou por enganar o tribunal sobre o contato de Knauf com Scobie e Durand.

“Aceito que o Sr. Knauf forneceu algumas informações aos autores do livro e que o fez com o meu conhecimento, para uma reunião que planejou com os autores na qualidade de secretário de comunicações. A extensão das informações que ele compartilhou é desconhecido para mim “, disse ela.

“Quando aprovei a passagem … não pude ver esses e-mails e peço desculpas ao tribunal pelo fato de não ter me lembrado dessas trocas na época. Não tinha absolutamente nenhum desejo ou intenção de enganar o réu ou o tribunal”.

Meghan também disse que não tinha conhecimento dos e-mails entre ela e Knauf no momento de sua declaração anterior porque o litígio ainda não havia chegado ao estágio de divulgação e seus advogados pediram o adiamento do julgamento devido à sua gravidez.

“Eu estava no primeiro trimestre da minha terceira gravidez na época, tendo sofrido um aborto espontâneo alguns meses antes, e estava me sentindo muito mal”, disse Meghan.

Mais Recentes da CNN