Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Milei promete cortes de impostos “significativos” se Congresso aprovar reformas

    Projeto foi aprovado na Câmara dos Deputados na segunda vez que foi proposto e agora precisa da aprovação do Senado

    Presidente da Argentina, Javier Milei, discursa em evento com empresários, em Buenos Aires
    Presidente da Argentina, Javier Milei, discursa em evento com empresários, em Buenos Aires 26/03/2024REUTERS/Agustin Marcarian

    Da Reuters

    O presidente argentino, Javier Milei, disse neste sábado (25) que aplicaria uma redução “significativa” de impostos se o Congresso aprovar um projeto de lei para reduzir a intervenção estatal na economia.

    Em meio a uma crise econômica prolongada com inflação elevada, o presidente quer que o Congresso aprove um pacote de reformas econômicas para aumentar os investimentos.

    “O governo nacional avançará com uma redução significativa dos impostos, começando pelo imposto nacional, um imposto distorcido”, disse Milei durante um evento na província de Córdoba.

    Milei esperava ter o seu extenso pacote de reforma econômica já aprovado e assinar um pacto com os governadores regionais este mês. Esse esforço foi paralisado pela resistência no Congresso, onde ele controla apenas uma minoria dos assentos.

    O seu projeto de reforma, que vai desde planos para privatizar entidades estatais até medidas para proporcionar mais incentivos às empresas, foi aprovado na Câmara dos Deputados na segunda vez que foi proposto e agora precisa da aprovação do Senado. O texto provavelmente passará por mais revisões antes da votação final.

    O pacote é fundamental para os seus planos de reformar a economia do país em apuros, com uma inflação próxima dos 300% e anos de controles rigorosos de capitais que distorcem o comércio. A economia também está se afundando na recessão, e Milei instituiu duras medidas de austeridade.

    Numa recente visita aos produtores agrícolas, o presidente disse que iria reduzir o imposto sobre as exportações agrícolas, das quais a Argentina é líder mundial.

    O projeto de “Bases”, como chamou Milei, foi aprovado na Câmara dos Deputados, mas ainda enfrenta obstáculos no Senado, que pode aprová-lo com reformas na próxima semana