Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Milhares vão às ruas para funeral do presidente do Irã

    Ibrahim Raisi morreu há quatro dias, em acidente de helicóptero perto da fronteira com o Azerbaijão

    Funeral do presidente iraniano, Ebrahim Raisi
    Funeral do presidente iraniano, Ebrahim Raisi Reuters

    Tom Perryda Reuters

    Dubai

    Milhares de pessoas lotaram as ruas da cidade sagrada iraniana de Mashhad na quinta-feira (23) para o funeral do presidente Ebrahim Raisi, que morreu há quatro dias em um acidente de helicóptero, mostraram imagens transmitidas pela mídia iraniana.

    Raisi, de 63 anos, era amplamente visto como candidato à sucessão do líder supremo Ali Khamenei, de 85 anos, que detém o poder máximo no Irã. Mohammad Mokhber, que foi primeiro vice-presidente, atua como presidente interino até as eleições de junho.

    Flores foram jogadas em seu caixão enquanto ele se movia lentamente a bordo de um caminhão por entre multidões de pessoas em luto para ser enterrado no santuário Imam Reza, o local islâmico mais sagrado do Irã e reverenciado como túmulo do Imam Ali al-Reza, do século IX. O corpo de Raisi veio de Mashhad, 900 km a leste de Teerã.

    Anteriormente, milhares de pessoas prestaram suas homenagens enquanto seu caixão era conduzido em uma carreata pela cidade oriental de Birjand.

    Oito passageiros e tripulantes morreram quando o helicóptero caiu em terreno montanhoso perto da fronteira com o Azerbaijão. Entre eles estava também o ministro das Relações Exteriores, Hossein Amirabdollahian.

    O Irã proclamou cinco dias de luto por Raisi, que promulgou as políticas linha-dura de seu mentor Khamenei com o objetivo de consolidar o poder clerical, reprimir os oponentes e adotar uma linha dura em questões de política externa, como as negociações nucleares com Washington para reviver o pacto nuclear do Irã de 2015.

    Uma cerimônia foi realizada para homenagear Amirabdollahian no Ministério das Relações Exteriores, em Teerã, onde o chanceler em exercício, Ali Bagheri Kani, o descreveu como um mártir que “garantiu a natureza revolucionária” da pasta.

    Amirabdollahian foi enterrado ao sul de Teerã, no santuário de Shah Abdolazim, na cidade de Rey, um mausoléu onde notáveis ​​políticos e artistas iranianos estão enterrados.