Mulheres afegãs são proibidas de lecionar ou frequentar a Universidade de Cabul

Novo chanceler nomeado pelo Talibã diz que medida ficará em vigor até que 'verdadeiro ambiente islâmico seja fornecido para todos'

Homens e mulheres separados em sala de aula no Afeganistão
Homens e mulheres separados em sala de aula no Afeganistão CNN / Reprodução

Karen SmithTara Johnda CNN

Ouvir notícia

As mulheres não terão mais permissão para frequentar as aulas ou trabalhar na Universidade de Cabul, no Afeganistão, “até que um ambiente islâmico seja criado”, anunciou na segunda-feira (27), em sua conta oficial no Twitter, o novo chanceler nomeado pelo Talibã.

“Enquanto o verdadeiro ambiente islâmico não for fornecido para todos, as mulheres não terão permissão para ir às universidades ou trabalhar. O Islã primeiro”, disse Mohammad Ashraf Ghairat.

Na manhã de segunda, Ghairat tuitou em pashto que a universidade estava trabalhando em um plano para acomodar o ensino de alunas, mas não disse quando esse plano seria concluído até.

“Devido à escassez de professoras, estamos trabalhando em um plano para que os professores sejam capazes de ensinar as alunas por trás de uma cortina na sala de aula”, escreveu no Twitter.

“Dessa forma, um ambiente islâmico seria criado para as alunas obterem educação.”

(Texto traduzido; leia o original em inglês)

Mais Recentes da CNN