Na ausência da Rainha Elizabeth II, Camilla e Kate assumem protagonismo real

Sem a presença da monarca na COP26, as duquesas desemprenharão seus papéis mais importantes nos últimos anos

Na ausência da Rainha, Kate e Camilla assumem o protagonismo real
Na ausência da Rainha, Kate e Camilla assumem o protagonismo real Reuters

Max FosterLauren Said-Moorhouseda CNN

Ouvir notícia

Como chefe de estado mais antiga do mundo, a habilidade da Rainha Elizabeth II em cortejar líderes mundiais é magistral. Adepta da arte da diplomacia suave, ela é reverenciada pelos outros chefes de estado por suas habilidades de hospedagem e capacidade de evitar ofender seus convidados.

Como tal, fará falta para os VIPs reunidos em Glasgow para as cruciais negociações climáticas da COP26. Eles certamente estariam ansiosos por seu momento com a monarca, e quem sabe até uma foto preciosa. Agora que ela cancelou sua visita por recomendação médica, seus ministros também perderam a diplomata mais valiosa.

Para aqueles que ainda estão preocupados com a senhora de 95 anos, o Palácio de Buckingham informou esta semana que ela está de “bom humor”, com fontes dizendo que ela está realizando “tarefas leves” em Windsor.

Na quinta-feira (28), o palácio divulgou um trecho de uma vídeo chamada no início do dia. No clipe, a Rainha brincou com o vencedor da Medalha de Ouro da Rainha pela Poesia em 2020, David Constantine. “Eu não sei o que você faz com isso … Você coloca no armário?”, brincou.

Na ausência da Rainha, os Príncipes Charles e William serão o centro das atenções na Escócia. Eles serão acompanhados pelas Duquesas da Cornualha e de Cambridge, que assumiram funções mais importantes e mais substanciais nos últimos anos.

Camilla e Kate deram suas primeiras entrevistas para um noticiário de televisão para a CNN. Camilla tratou de violência doméstica em 2017, enquanto Kate encontrou tempo para nós durante uma viagem real ao Paquistão, dois anos depois. Ambos estavam apreensivas, mas determinadas a fazer dar certo.

Um grande exemplo de como Camilla se tornou confortável com seu lugar na realeza veio esta semana com seu maior – e sem dúvida o mais impressionante – discurso até então. A duquesa fez um discurso apaixonado antes do Shameless! Festival em Londres, que começa no próximo mês, e reunirá arte e ativismo para combater a violência sexual.

“Este país está chocado e triste com a perda de mulheres devido à violência este ano. Em média, uma mulher é morta por um homem a cada três dias”, disse Camilla. “Sarah Everard, Sabina Nessa, Wenjing Lin, Geetika Goyal e Bennylyn Burke são nomes que, com todos os outros, nunca devem ser esquecidos”.

Ela continuou: “Não responsabilizamos, de forma alguma, todos os homens pela violência sexual. Mas precisamos de todos eles para combatê-la. Afinal, estupradores não nascem, eles são construídos. E leva uma comunidade inteira para desmantelar as mentiras, palavras e ações que fomentam uma cultura em que a agressão sexual é vista como normal e na qual envergonha a vítima”.

Foi um discurso que mostrou quantas mulheres no Reino Unido estão se sentindo em meio a uma “epidemia” de violência contra mulheres e meninas.

Kate também tem aprimorado as causas pelas quais ela é apaixonada, seja seu foco na infância ou o apoio a campanhas de saúde mental.

Encontro de Kate Middleton com sobreviventes do Holocausto / Reprodução/Instagram

Como elas fizeram isso? Bem, em parte, elas aceitaram o velho mantra motivacional da Segunda Guerra Mundial de “Mantenha a calma e continue”. Mas também estão se tornando especialistas em suas áreas de interesse escolhidas.

Na próxima semana, as duas mulheres enfrentarão seu maior teste diplomático até o momento, naquele que será o maior encontro de líderes mundiais de todos os tempos no Reino Unido. Não é sobre elas, é sobre os grandes nomes que receberão na ausência de Sua Majestade.

Ninguém espera que as duquesas façam outra coisa senão se destacar, mas elas serão capazes de demonstrar que o Reino Unido ainda pode manter seu poder diplomático sem a verdadeira estrela do show?

Camilla e Kate não precisam mostrar que são tão boas quanto a Rainha (isso fica por conta de seus maridos, como herdeiros ao trono, que precisam mostrar que têm potencial para quando chegar a hora). Este é o jogo real da longa duração e a COP26 é um daqueles momentos em que a realeza prova seu valor para o Reino Unido – razão pela qual os quatro estão tão comprometidos com o evento.

Charles e Camilla têm um mês muito agitado pela frente

O príncipe de Gales e sua esposa irão para a Jordânia e o Egito no próximo mês. A dupla fará uma viagem de quatro dias a partir de 16 de novembro a pedido do governo britânico. “A turnê mostrará as fortes relações bilaterais, com foco particularmente em lidar com a crise climática”, disse o escritório de Charles. A dupla irá explorar como cumprir os compromissos após a conclusão das negociações climáticas da ONU em Glasgow.

Príncipe Charles e Camilla, a Duquesa da Cornualha em 09/03/2015
Príncipe Charles e Camilla / Foto: REUTERS/Stefan Wermuth

A primeira parada da viagem ao exterior é a Jordânia, onde serão recebidos pelo Rei Abdullah II e pela Rainha Rania para marcar o centenário do país. Charles e Camilla já visitaram a Jordânia (em 2015 e 2013, respectivamente).

“O Príncipe se concentrará nas questões ambientais, no diálogo inter-religioso, na preservação do patrimônio e na criação de empregos e oportunidades para os jovens. A Duquesa continuará seu compromisso com o apoio às mulheres, bem como com a educação das meninas”, disse o comunicado.

Em seguida, viajarão para o Egito, onde se encontrarão com o presidente Abdel Fattah al-Sisi e sua esposa, Entissar Amer al-Sisi. Os compromissos planejados no país permitirão que o casal “celebre a cultura ancestral e o significado espiritual do Egito, enquanto observa o Egito moderno, abraçando um futuro mais verde”.

Juiz dos EUA define prazo para provas no caso de agressão sexual de Andrew.

O príncipe Andrew tem até julho do próximo ano para responder a perguntas no caso de agressão sexual civil contra ele. O juiz Lewis A Kaplan definiu um prazo de 14 de julho para a apresentação de todas as evidências, incluindo um possível depoimento, de acordo com um documento do tribunal dos EUA.

A decisão significa que é possível que as questões jurídicas de Andrew possam chamar atenção durante as celebrações do Jubileu de Platina da Rainha, que acontecerão na mesma época.

A acusadora do duque, Virginia Roberts Giuffre, alega que ela foi traficada pelo criminoso sexual condenado Jeffrey Epstein e forçada a praticar atos sexuais com a realeza em várias ocasiões enquanto ainda era menor de acordo com a lei dos Estados Unidos. Andrew, 61, negou repetidamente as acusações.

Príncipe Andrew / Reuters

A longa espera da realeza japonesa até o altar acabou.

A princesa Mako, sobrinha do imperador japonês, finalmente se casou com seu namorado plebeu Kei Komuro na terça-feira (26) . Quando uma princesa se casa com alguém que não é da realeza, a estrita lei imperial do Japão estipula que ela deve renunciar ao seu status real.

A saída de Mako da família e os planos de se mudar para Nova York, onde seu novo marido trabalha em um escritório de advocacia, geraram comparações de muitos com os Sussex (Harry e Meghan). Mas essas comparações são vazias.

Princesa japonesa Mako e Kei Komuro durante entrevista coletiva em Tóquio / Reuters

Beatrice e Eugenie vão ao casamento real grego.

Parece que os sinos do casamento estão no ar, já que as núpcias japonesas não foram as únicas celebrações reais nesta semana. As princesas Beatrice e Eugenie foram vistas em Atenas na cerimônia do príncipe Philippos da Grécia e Dinamarca e sua noiva Nina Flohr no fim de semana.

Beatrice estava toda feliz quando ela e seu marido Edoardo Mapelli Mozzi pararam nos degraus da Catedral Metropolitana de Atenas para acenar para seus simpatizantes. Foi sua primeira aparição desde o parto de sua filha Sienna Elizabeth em 18 de setembro.

(Texto traduzido. Clique aqui para ler o original em inglês)

Mais Recentes da CNN