Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Não parece ser do interesse da Rússia expansão da guerra à Otan, diz especialista

    Segundo Fernanda Magnotta, os russos pretendem manter a Ucrânia como campo de batalha central

    Douglas Portoda CNN

    em São Paulo

    A coordenadora do curso de Relações Internacionais da Faap, Fernanda Magnotta, declarou, neste sábado (19), em entrevista à CNN, que em tese, a Rússia não tem interesse em expandir a guerra na Ucrânia, principalmente em direção aos países que fazem parte da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), como a Polônia.

    “Faz todo sentindo que nós olhemos sempre com atenção para isso, até lembrando que a Polônia seria não só um novo país envolvido, mas um mebro da Otan, que envolveria toda Europa Ocidental e os Estados Unidos na guerra. Por outro lado, não parece ser do ponto de vista racional esse o interesse da Rússia”, afirmou Magnotta.

    “A Rússia tem deixado muito claro, em discursos e ações, que pretende manter a Ucrânia como campo de batalha central. E é ali, em todo território ucraniano, que pretende realizar todos os seus interesses. A Rússia, a princípio, não tem porque expandir a guerra para outros países e talvez não tenha interesse em fazê-lo, particularmente em direção à Otan”, continuou.

    Um ataque com mísseis das forças russas o campo de treinamento militar de Yavoriv, ​​na região ucraniana de Lviv e a 25 quilômetros de distância da fronteira com a Polônia deixou 35 pessoas mortas e 134 feridas, em 13 de março.

    Na última sexta-feira (18), ao menos um míssil russo atingiu a área próxima ao Aeroporto Internacional Danylo Halytskyi, na cidade fronteiriça, de acordo com o gabinete do prefeito Andriy Sadovyi.

    “Mísseis atingiram a área perto do aeroporto de Lviv.  As janelas dos prédios de [uma] empresa de transporte estão danificadas. A situação no local está sendo esclarecida e atualizaremos mais tarde”, disse Sadovyi.