Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Navios rumo à Ucrânia serão considerados pela Rússia como potenciais transportadores de carga militar

    Em um comunicado publicado nesta quarta-feira (19), o Ministério da Defesa russo disse que as partes sudeste e noroeste das águas internacionais do Mar Negro passam a ser inseguras para navegação

    Da Reuters

    O Ministério da Defesa da Rússia disse, nesta quarta-feira (19), que passará a considerar todos os navios indo em direção a portos ucranianos no Mar Negro como potenciais transportadores de cargas militares.

    A mudança, após o fim do acordo de grãos do Mar Negro, deve começar a partir da meia-noite de quinta-feira (20), no horário de Moscou (18h no horário de Brasília).

    Em um comunicado publicado no aplicativo de mensagens Telegram, o ministro disse que passa a declarar as partes sudeste e noroeste das águas internacionais do Mar Negro como inseguras para navegação.

    Os países donos dos navios que estiverem viajando para portos ucranianos passarão a ser considerados como aliados do lado ucraniano no conflito.

    FOTOS – Imagens mostram a destruição da guerra entre Rússia e Ucrânia

    Fim do acordo de grãos

    Na segunda-feira (17), a Rússia anunciou que não pretendia dar continuidade ao acordo de grãos, que visava aliviar uma crise global de alimentos, permitindo que os grãos ucranianos bloqueados pelo conflito fossem exportados através do Mar Negro.

    O acordo foi negociado pela ONU e pela Turquia em julho passado. Ele havia sido prorrogado várias vezes, mas expirou na segunda.

    A Rússia vinha dizendo há meses que as condições para sua extensão não haviam sido cumpridas.

    “Na verdade, os acordos do Mar Negro deixaram de ser válidos hoje”, disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, a repórteres. “Infelizmente, a parte desses acordos do Mar Negro em relação à Rússia não foi implementada até agora, então seu efeito foi encerrado.”

    Moscou reclama há muito tempo que persistem obstáculos às suas exportações de grãos e fertilizantes, embora não tenham sido sancionados diretamente pelo Ocidente, e apresentou uma série de exigências que disse não terem sido atendidas.

    Ataque ao porto de Odessa

    Nesta quarta-feira (19), a Ucrânia acusou a Rússia de danificar a infraestrutura de exportação de grãos com ataques noturnos de mísseis no porto de Odessa, após o fim do acordo de exportação.

    “Os terroristas russos atacaram deliberadamente a infraestrutura do negócio de grãos”, disse o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, no aplicativo de mensagens Telegram. “Todo míssil russo é um ataque não apenas à Ucrânia, mas a todos no mundo que desejam uma vida normal e segura.”

    O gabinete do procurador-geral da Ucrânia disse que 10 civis, incluindo um menino de 9 anos, ficaram feridos.

    Terminais de grãos foram danificados com o ataque, além de uma instalação industrial, armazéns, shoppings, prédios residenciais e administrativos e carros.