Número de mortos nos EUA foi 20% maior do que o esperado entre de março e agosto

A Covid-19 foi oficialmente responsável por cerca de dois terços dessas novas, de acordo com uma nova pesquisa publicada pela revista médica JAMA

Quinta avenida quase deserta em Nova York durante a quarentena: estado foi um dos mais atingidos pela Covid-19
Quinta avenida quase deserta em Nova York durante a quarentena: estado foi um dos mais atingidos pela Covid-19 Foto: Carlo Allegri - 24.mar.2020/ Reuters

Da CNN

Ouvir notícia

Houve 20% mais mortes do que o esperado nos Estados Unidos de 1º de março a 1º de agosto, sendo a Covid-19 oficialmente responsável por cerca de dois terços delas, de acordo com uma nova pesquisa publicada nesta segunda-feira, 12, na revista médica JAMA.

“Embora as contagens totais de mortes nos EUA sejam notavelmente consistentes de ano para ano, as mortes aumentaram 20% durante março-julho de 2020”, disse a pesquisa, de autoria do Dr. Steven Woolf e colegas da Virginia Commonwealth School of Medicine. “Covid-19 foi a causa documentada de 67% dessas mortes em excesso”.

Houve pelo menos 1.336.561 mortes nos Estados Unidos entre 1º de março e 1º de agosto, disse o estudo – um aumento de 20% sobre o que seria normalmente esperado.

Leia também:
Após novos casos, cidade chinesa promete testar população inteira em cinco dias
Por que Trump pode deixar isolamento mesmo sem teste negativo para Covid-19?

Nova York, Nova Jersey, Massachusetts, Louisiana, Arizona, Mississippi, Maryland, Delaware, Rhode Island e Michigan foram os dez estados com a maior taxa per capita de mortes em excesso. O número nas mortes absolutas variou de 22% em Rhode Island e Michigan a 65% em Nova York.

Nova York, Nova Jersey e Massachusetts – os três estados com as maiores taxas de mortalidade – foram responsáveis ??por 30% do excesso de mortes nos Estados Unidos, mas tiveram as epidemias mais curtas, de acordo com os pesquisadores.

“Os estados que tiveram picos agudos em abril (e reabriram mais tarde) tiveram epidemias mais curtas que voltaram ao valor inicial em maio, enquanto os estados que reabriram mais cedo tiveram aumentos mais prolongados no excesso de mortes que se estendeu até o verão”, disseram os pesquisadores.

Das aproximadamente 225.530 mortes em excesso, pelo menos 150.541 – ou 67% – delas foram atribuídas à Covid-19.

A análise constatou que houve aumentos nas mortes relacionadas a outras causas além da Covid-19, incluindo a taxa de mortalidade dos EUA por doenças cardíacas, que aumentou entre as semanas que terminaram em 21 de março e 11 de abril, “impulsionada pelo aumento repentino nos casos da Covid-19”; e taxas de mortalidade por doença de Alzheimer e demência, que aumentaram duas vezes.

O segundo aumento, entre as semanas que terminam em 6 de junho e 25 de julho – “coincidiram com o início do verão nos estados de cinturão solar (Sun Belt)”

“Alguns estados tiveram mais dificuldade do que outros em conter a disseminação da comunidade, causando elevações prolongadas no excesso de mortes que se estendeu até o verão”, disseram os autores.

Eles também acrescentaram que o excesso de mortes atribuídas a algo diferente da Covid-19 pode ser um reflexo de mortes por casos não reconhecidos ou não documentados ou mortes entre pacientes não infectados que enfrentaram interrupções causadas pela pandemia.

O estudo teve algumas limitações, incluindo o fato de se basear em dados provisórios, imprecisões nas certidões de óbito e suposições que foram aplicadas ao modelo.

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês).

Mais Recentes da CNN