O que se sabe sobre tiroteio em estação de metrô em Nova York

Pelo menos 29 pessoas ficaram feridas; polícia divulgou nome de homem que pode estar relacionado ao atentado

Vista geral do local de um tiroteio em uma estação de metrô no bairro de Brooklyn, em Nova York
Vista geral do local de um tiroteio em uma estação de metrô no bairro de Brooklyn, em Nova York Andrew Kelly/Reuters (12.abr.2022)

Renata Souzada CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

Pelo menos 29 pessoas ficaram feridas após um ataque a tiros na estação de metrô do Brooklyn, em Nova York. As vítimas foram atendidas em três hospitais privados próximos ao local, mas nenhuma apresentou risco de vida, segundo uma das instituições.

Dentre os feridos, dez foram baleados. Os demais precisaram de atendimento por outros fatores decorrentes do atentado, como inalação de fumaça, estilhaços e pânico, disse a primeira vice-comissária do FDNY (Corpo de Bombeiros da Cidade de Nova York), Laura Kavanagh.

A polícia ainda não prendeu o suspeito, mas os investigadores acreditam ter identificado o responsável. No início da tarde, as autoridades localizaram uma van de carga U-Haul a cerca de 7,5 km da estação. O veículo teria sido alugado utilizando um cartão de crédito também achado no local do crime.

Além dessa evidência, a polícia conta com um vídeo gravado no celular de uma das testemunhas, em que aparece um possível suspeito.

Atentado

Por volta das 8h30 o atirador teria disparado em um trem “N” com destino a ilha Manhattan que se aproximava da estação de metrô 36th Street em Sunset Park, no Brooklyn.

O Brooklyn é uma região suburbana de Nova York, enquanto Manhattan é a parte central da cidade, onde ficam os principais pontos turísticos, como a Times Square e o Central Park. A linha de trem afetada conecta justamente a periferia ao centro de Nova York e foi atingida em horário de pico.

Mapa mostra local onde aconteceu o tiroteio e ilha de Manhattan, região central de Nova York / Reprodução/CNN

Além de disparos no vagão do metrô, o atirador teria utilizado uma granada de fumaça e disparado na plataforma da estação. Duas fontes policiais relataram à CNN que uma arma foi encontrada no local, embora ainda não esteja claro se o artefato foi utilizado no atentado desta manhã.

Dados da polícia mostram que 360 pessoas foram baleadas na cidade somente neste ano. Em dois anos, ataques a tiro em Nova York cresceram 72,2%.

Investigação

O Departamento de Polícia de Nova York disse que está procurando por Frank James, 62, que alugou a van U-Haul. A caminhonete foi alugada por James na Filadélfia um dia antes e as autoridades averiguam se o homem é o responsável pelo crime.

“Estamos procurando determinar se ele tem alguma conexão com o trem”, disse o chefe de detetives da NYPD, James Essig. “Sabemos que o Sr. James alugou aquele caminhão U-Haul na Filadélfia”, disse ele.

A chave da van U-Haul foi encontrada na cena do crime, disse o chefe de detetives da NYPD, James Essig. Até o momento, a polícia não tem ninguém relacionado ao tiroteio sob custódia.

Ataque a tiros deixa feridos no metrô de Nova York
Bombeiros empenhados no resgate das vítimas / Reprodução/WABC/CNN (12.abr.2022)

Além de um revólver, a polícia encontrou no local três carregadores estendidos, duas granadas de fumaça detonadas, duas granadas de fumaça não detonadas e um machado, disse James Essig.

Uma recompensa de 50 mil dólares está sendo oferecida a quem fornecer informações que ajudem a chegar no responsável pelo atentado.

O FBI formou uma força-tarefa conjunta com o Departamento de Polícia nova iorquino para apurar o ocorrido. Até o momento, investigação não trabalha com possibilidade de ter sido um ato terrorista.

Falha no sistema de câmeras

Em uma entrevista, o prefeito de Nova York, Eric Adams, disse que uma revisão preliminar indica que parecia haver algum tipo de mau funcionamento com o sistema de câmeras na estação de metrô durante o tiroteio.

Adams afirmou que os investigadores tentam determinar se uma câmera funcionou mal ou se as câmeras em toda a estação tiveram problemas.

Testemunha

Hourari Benkada, 27, disse à CNN que estava sentado ao lado do suspeito de atirar no metrô e foi baleado na parte de trás do joelho enquanto tentava fugir.

“Sinto-me chocado, me sinto trêmulo, não sei se conseguirei andar de trem”, disse Benkada, depois de sair da cirurgia.

Benkada, gerente de limpeza do New Yorker Hotel, relatou ter entrado no último vagão do metrô e se sentado ao lado de um homem com uma mochila que usava um colete MTA (Autoridade Metropolitana de Transportes). O homem então deixou uma “bomba de fumaça” e começou a atirar cerca de 20 segundos depois que o trem decolou, disse Benkada.

*Com informações da CNN e de Heloísa Villela, da CNN Brasil

Mais Recentes da CNN