Otan rejeita acusações russas sobre implantação de mísseis

"A proposta da Rússia de moratória não é crível porque tínhamos uma proibição e eles violaram essa proibição", disse secretário-geral

Vladimir Putin, presidente da Rússia
Vladimir Putin, presidente da Rússia REUTERS

Sabine Sieboldda Reuters

Bruxelas

Ouvir notícia

A Organização do Tratado do Atlântico do Norte (Otan) não planeja implantar mísseis nucleares de alcance intermediário na Europa, disse a aliança militar ocidental na terça-feira (14), rejeitando as acusações russas e um pedido de Moscou por uma moratória desse tipo de arma na Europa.

O secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, disse a repórteres em Bruxelas que a própria Rússia havia violado durante o, até então, extinto tratado INF ao implantar novos mísseis nucleares de alcance intermediário na Europa, acrescentando que a Otan não pretendia espelhar o comportamento de Moscou.

 

 

“A proposta da Rússia de moratória não é crível porque tínhamos uma proibição e eles violaram essa proibição”, disse Stoltenberg.

“Portanto, a menos que a Rússia de forma verificável destrua todos os seus mísseis SSC-8, que são aqueles que violaram o Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF), não é crível quando agora eles propõem a proibição de algo que eles realmente já começaram a implantar.”

 

 

Stoltenberg estava se referindo ao tratado INF de 1987 entre o então líder soviético, Mikhail Gorbachev, e o presidente dos Estados Unidos, Ronald Reagan, que proibia armas nucleares de alcance intermediário – aquelas com alcance de 500 a 5.500 quilômetros – na Europa.

Mais Recentes da CNN