Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Para Biden, “está mais claro” que Putin está cometendo genocídio na Ucrânia

    Assessores do presidente americano, no entanto, dizem que o conflito ainda não subiu a esse nível

    Presidente dos EUA Joe Biden saindo da Casa Branca, em Washington
    Presidente dos EUA Joe Biden saindo da Casa Branca, em Washington Foto: Reuters/Leah Millis

    DJ Juddda CNN

    Ouvir notícia

    O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, reiterou sua avaliação de que a Rússia cometeu um genocídio na Ucrânia, dizendo a repórteres, nesta terça-feira (12) em Des Moines que “ficou cada vez mais claro que Putin está apenas tentando acabar com a ideia de ser ucraniano”.

    “E as evidências estão aumentando, é diferente do que era na semana passada, agora cada vez mais evidências estão surgindo”, afirmou.

    “São coisas literalmente horríveis que os russos fizeram na Ucrânia, e nós só vamos descobrir mais e mais sobre a devastação — e vamos deixar que os advogados decidam internacionalmente como essas práticas se qualificam, mas com certeza parece assim para mim”, completou o presidente americano.

    Mais cedo, ainda nesta terça, em declarações no estado de Iowa, o presidente citou pela primeira vez a possibilidade de a Rússia ter cometido genocídio, em comentários sobre o aumento dos preços do gás.

    “Seu orçamento familiar, sua capacidade de encher o tanque, nada disso deve depender de um ditador declarar guerra e cometer genocídio a meio mundo de distância”, disse ele.

    Biden já havia parado de chamar o que está em andamento na Ucrânia de genocídio. Seus assessores o disseram que o conflito ainda não subiu a esse nível.

    “Vimos atrocidades, vimos crimes de guerra, ainda não vimos um nível de privação sistemática da vida do povo ucraniano para chegar ao nível de genocídio”, disse o conselheiro de segurança nacional Jake Sullivan no início deste mês.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original

    Mais Recentes da CNN