Partido Republicano se retira de comissão de debates presidenciais dos EUA

Conselho foi formado em comum acordo entre Republicanos e Democratas e tem organizado evento desde 1988

O republicano Donald Trump e o democrata Joe Biden durante primeiro debate presidencial nos EUA
O republicano Donald Trump e o democrata Joe Biden durante primeiro debate presidencial nos EUA Reprodução/CNN

Michael Warrenda CNN

Ouvir notícia

O Comitê Nacional Republicano (RNC, na sigla em inglês) votou por unanimidade na quinta-feira (14) para retirar sua participação na Comissão de Debates Presidenciais, a organização que há muito governa os debates presidenciais das eleições gerais dos Estados Unidos.

Em um comunicado, a porta-voz do RNC, Ronna McDaniel, disse que a comissão é “tendenciosa e se recusou a aprovar reformas simples e de bom senso para ajudar a garantir debates justos, incluindo a realização de debates antes do início da votação e a seleção de moderadores que nunca trabalharam para candidatos participantes do debate”.

A comissão foi formada em 1987 como uma organização sem fins lucrativos patrocinada pelos partidos Republicano e Democrata e tem organizado debates em todas as eleições presidenciais desde 1988. Os co-presidentes do grupo incluem o ex-presidente do RNC Frank Fahrenkopf.

A decisão desta quinta vem depois de meses de sinais do RNC que buscava uma ruptura da comissão. Em junho de 2021, McDaniel enviou uma carta com várias reclamações sobre as práticas da comissão, refletindo as preocupações do ex-presidente Donald Trump sobre a condução dos debates de 2020.

E em janeiro, a porta-voz enviou outra carta ameaçando “proibir futuros candidatos republicanos de participar de debates patrocinados pelo CPD”, a menos que a comissão mudasse suas regras. O RNC alega que não retirou inteiramente seus futuros candidatos dos debates.

A comissão atraiu considerável ira de Trump durante a campanha de 2020, com o ex-presidente e seus assessores de campanha muitas vezes criticando os moderadores selecionados, a decisão da comissão de realizar o segundo debate virtualmente durante a pandemia de coronavírus e a escolha de silenciar o microfone de cada candidato durante o debate final. após o primeiro debate incluir interrupções consideráveis ​​do então presidente.

Os moderadores foram uma questão central para os republicanos em 2020 – especialmente a seleção inicial de Steve Scully, do C-SPAN, para moderar o segundo debate.

A campanha de Trump atacou Scully por trabalhar para Biden cerca de quatro décadas antes, levando o jornalista a mencionar no Twitter o diretor de comunicação de Trump na Casa Branca, Anthony Scaramucci.

A postagem frustrou os republicanos, e Scully disse que havia sido hackeado, algo que ele mais tarde admitiu não ser verdade. C-SPAN então colocou Scully em “licença administrativa” por mentir.

A comissão acabou cancelando o segundo debate depois que Trump se recusou a participar de um debate virtual, apesar das preocupações com seu diagnóstico de Covid-19.

O RNC defendeu uma série de mudanças na comissão, incluindo a adoção de limites de mandato para seu conselho e a proibição de membros de fazer comentários públicos sobre quaisquer candidatos.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN