Pequim vai exigir teste de Covid-19 de viajantes devido à variante Ômicron

Nova regra, que entrará em vigor de 22 de janeiro até o final de março, visa ajudar na detecção precoce da variante altamente transmissível do coronavírus

Pequim relatou a primeira infecção local da variante Ômicron altamente transmissível no sábado (15)
Pequim relatou a primeira infecção local da variante Ômicron altamente transmissível no sábado (15) Cristine Rochol/PMPA

Reuters

Ouvir notícia

Pequim exigirá que os viajantes façam um teste de Covid-19 dentro de 72 horas após a chegada à capital chinesa, anunciou a mídia estatal neste domingo (16). A cidade, que relatou seu primeiro caso de Ômicron no sábado (15), se prepara para sediar os Jogos Olímpicos de Inverno no próximo mês.

No sábado, a cidade relatou a primeira infecção local da variante Ômicron altamente transmissível, envolvendo uma pessoa que visitou vários shoppings e restaurantes nos 14 dias anteriores. A pessoa não saía da cidade desde o início deste ano.

A nova regra, que entrará em vigor de 22 de janeiro até o final de março, visa ajudar na detecção precoce da nova variante, que está aumentando globalmente, e no controle de riscos epidêmicos, disse o Beijing Daily, um jornal do governo, em sua conta oficial de mídia social.

A capital já exige que os viajantes façam um teste Covid-19 dentro de 48 horas antes de sair da cidade e tenham um código verde no aplicativo de rastreamento de saúde da cidade.

A cidade e a província vizinha de Hebei sediarão os Jogos Olímpicos de Inverno, que começam em 4 de fevereiro, em um “círculo fechado” que separará atletas e outros funcionários dos Jogos do público em geral.

Tianjin, uma cidade vizinha com laços econômicos estreitos com a capital que luta contra um surto de Covid-19 envolvendo a variante Ômicron, encontrou 59 casos em sua terceira rodada de testes em massa no sábado, disse He Peng, porta-voz do governo local em coletiva de imprensa no domingo.

Até agora, casos locais da variante foram detectados em pelo menos cinco províncias e municípios, levando as cidades a impor restrições para impedir sua propagação e ameaçando prejudicar ainda mais o lento crescimento econômico. A China não informou quantos casos de Ômicron detectou no total.

(Reportagem de Stella Qiu, Yew Lun Tian e Tony Munroe)

Mais Recentes da CNN