Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Pesquisa indica Sergio Massa à frente de Javier Milei na Argentina

    Candidato peronista tem 42% das intenções de voto, enquanto libertário radical tem 34%

    Nicolas Misculinda Reuters

    O candidato presidencial peronista Sergio Massa, representante do atual governo da Argentina, abriu vantagem sobre seu adversário de extrema-direita, Javier Milei, a menos de um mês para o segundo turno das eleições presidenciais, mostrou pesquisa da agência Analogias divulgada nesta quinta-feira (26).

    A sondagem registrou que Massa, chefe da área econômica do atual governo, tem cerca de 42% das intenções de voto, contra 34% de Milei, candidato combativo que se autodenomina “anarcocapitalista”.

    Veja também — Bullrich declara apoio a Milei para o segundo turno das eleições na Argentina

    As pesquisas eleitorais têm errado na Argentina nos últimos anos, inclusive antes do primeiro turno do último domingo (22), quando Milei liderava em quase todas as sondagens, mas acabou ficando em segundo lugar, atrás de Massa, por cerca de seis pontos percentuais.

    A pesquisa da Analogias, uma das primeiras a estimar o apoio dos candidatos para o segundo turno, em 19 de novembro, segue a mais recente reviravolta, de quarta-feira (25), quando Milei conquistou o apoio da terceira colocada do primeiro turno, a conservadora Patricia Bullrich, que obteve quase um quarto dos votos.

    O apoio de Bullrich a Milei deve ajudá-lo a conquistar parte da base eleitoral conservadora mais moderada de Bullrich, que se opõe aos peronistas no poder, embora sua própria coligação esteja profundamente dividida sobre o apoio ao libertário radical.

    A nova pesquisa também mostra quase 18% de indecisos no confronto direto, enquanto outros cerca de 6% disseram que não votarão em ninguém.

    A pesquisa ouviu quase 2.000 participantes entre 23 e 25 de outubro.

    A sondagem também estima que Massa conquistará os votos de cerca de um terço dos que apoiaram o quarto colocado do último domingo, assim como quase 15% dos que optaram pela Bullrich.