Representantes de Reino Unido e Talibã discutem retirada de cidadãos do Afeganistão

Representante especial do primeiro-ministro Boris Johnson se reuniu no Catar com representantes do alto escalão do Talibã

Priti Patel, secretária para Assuntos Internos do Reino Unido, conversa com refugiadas afegãs recebidas no Aeroporto de Londres
Priti Patel, secretária para Assuntos Internos do Reino Unido, conversa com refugiadas afegãs recebidas no Aeroporto de Londres Dominic Lipinski - 26.ago.2021/Pool via AP

Luke McGeeLauren Kentda CNN

Ouvir notícia

Depois do acordo secreto do Talibã com os Estados Unidos, no qual o grupo islâmico escoltou militares norte-americanos até os portões do aeroporto de Cabul, representantes do Reino Unido também discutem formas de garantir uma saída segura do Afeganistão para cidadãos britânicos e afegãos que ainda estão no país.

Um porta-voz de Downing Street, o escritório oficial do primeiro-ministro britânico, disse à CNN que um representante especial de Boris Johnson participou de negociações com representantes do Talibã em Doha, no Catar, na terça-feira (31).

“Simon Gass, representante especial do primeiro-ministro viajou para Doha e está se reunindo com representantes do alto escalão do Talibã para sublinhar a importância de uma passagem segura no Afeganistão para os cidadãos britânicos e os afegãos que trabalharam conosco nos últimos vinte anos”, disse o porta-voz.

Em 2019, Gass foi nomeado diretor do Comitê Conjunto de Inteligência do Reino Unido, que fornece aos ministros e funcionários do alto escalão do governo avaliações de inteligência, principalmente sobre segurança, defesa e relações exteriores.

Gass também já foi representante civil sênior da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) no Afeganistão.

Horas depois de as últimas tropas norte-americanas deixarem o solo afegão, o grupo islâmico disse querer manter boas relações diplomáticas com o mundo.

No Reino Unido, nesta quarta-feira (1º), o secretário de Relações Exteriores, Dominic Raab, deve ser ouvido no Parlamento sobre a forma como o país lidou com a retirada do Afeganistão.

(Texto traduzido; leia o original em inglês)

Mais Recentes da CNN