Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Rússia avança sobre Kharkiv e mata sete pessoas em novo ataque

    Onda de mísseis russos atingiu gráfica e pontos de infraestrutura da cidade

    Ataque russo em Kharkiv
    Ataque russo em Kharkiv 22/5/2024 REUTERS/Sofiia Gatilova

    Olga VoitovychSharon BraithwaiteSana Noor Haqda CNN

    Uma onda de ataques com mísseis russos atingiu nesta quinta-feira (23) vários locais em Kharkiv, incluindo uma gráfica na capital regional, matando sete pessoas, enquanto as forças do Kremlin avançavam.

    As tropas russas aproveitaram-se de uma linha de frente enfraquecida na Ucrânia e, nas últimas duas semanas, avançaram em direção a Kharkiv. A região foi capturada pelas forças russas no início da guerra, antes de ser libertada.

    Todos os sete mortos, dos quais pelo menos cinco eram mulheres, eram civis que trabalhavam para a gráfica Factor-Druk na capital da região, a cidade de Kharkiv, segundo o governador regional, Oleh Syniehubov.

    Outras 28 pessoas ficaram feridas nos ataques, disseram autoridades.

     

    Após o ataque, surgiram imagens da fábrica parcialmente reduzida a escombros, com a fachada destruída.

    A Factor-Druk publica cerca de um terço dos livros do país e 10% dos seus jornais, afirma a empresa no seu website.

    A rede ferroviária estatal ucraniana também foi atacada no início da manhã, segundo comunicado da empresa. Seis funcionários ficaram feridos, disse a empresa. Uma equipe da CNN viajando pela área viu duas crateras e fumaça perto de uma linha férrea.

    Os civis também foram encurralados por uma nova onda de violência que envolve a região. Em 15 de maio, as forças russas dispararam contra pessoas que tentavam desesperadamente fugir da cidade de Vovchansk e mataram uma mulher que era empurrada numa cadeira de rodas pelo marido, informaram os procuradores ucranianos.

    ‘Extremamente brutal’

    O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, denunciou o “ataque russo extremamente brutal” a Kharkiv e à cidade de Lyubotyn, chamando a atenção para a fragilidade das defesas aéreas de Kiev face ao novo ataque de Moscou.

    “Os terroristas russos estão se aproveitando da falta de proteção de defesa aérea suficiente e de capacidade da Ucrânia para destruir lançadores terroristas nos seus locais exatos, que estão perto das nossas fronteiras”, escreveu Zelensky no X.

    No início deste mês, os Estados Unidos aprovaram um pacote de 400 milhões de dólares em munições de defesa aérea e outras armas para a Ucrânia. Mas altos responsáveis ​​em Kiev alertaram que a recente onda de ajuda não será suficiente para impedir novos avanços russos.

    Jornalistas da CNN na cidade de Lyptsi, a cerca de 32 quilômetros a norte da cidade de Kharkiv, viram tropas utilizando armamento envelhecido e inadequado, numa tentativa de repelir unidades russas altamente equipadas, reforçadas por drones.

    Zelensky está cada vez mais exasperado com a condição imposta por Washington e outros aliados ocidentais de que as armas que fornecem à Ucrânia não podem ser utilizadas para atingir alvos dentro das fronteiras da Rússia.

    “Não creio que deva haver quaisquer restrições, porque não se trata do exército ucraniano usar armas ocidentais em território russo para ofensiva”, disse Zelensky a repórteres em Kiev no início deste mês. “Isso é defesa.”

    Funcionários da Casa Branca no início deste mês disseram que a sua posição sobre a questão permanecia.

    “Não encorajamos nem permitimos ataques utilizando sistemas de armas fornecidos pelos EUA dentro do território russo”, disse o porta-voz do Conselho de Segurança Nacional dos EUA, John Kirby, durante uma coletiva de imprensa em 17 de maio. “Isso não mudou.”

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original