Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Russos recorrem a artilharia da União Soviética para atacar Ucrânia

    Míssil da década de 1960 foi utilizado durante bombardeio a shopping center nesta segunda-feira (27)

    Da CNN Brasil

    Ouvir notícia

    As forças russas estão recorrendo ao uso de artilharia da era da União Soviética para realizar ataques na Ucrânia.

    Mísseis atingiram um prédio residencial e um jardim de infância no centro de Kiev no domingo (26), matando uma pessoa e ferindo mais cinco.

    Um míssil da década de 1960 foi utilizado no ataque ao shopping center em Kremenchuk nesta segunda-feira (27), em que ao menos 18 pessoas foram mortas e outras 59 ficaram feridas.

    O armamento utilizado é um míssil de cruzeiro X22, que tem um alcance de 2.500 quilômetros. Sua precisão para acertar os alvos depende de um computador de bordo antigo, associado a um radar e um data basic, que não funcionam tão precisamente quanto os ocidentais.

    Segundo o analista de Internacional da CNN Lourival Sant’Anna, é difícil saber a estratégia do presidente Vladimir Putin ao realizar os ataques próximos à reunião do G7, na Alemanha. Mas que isso trouxe um aumento de agressividade da Otan com a Rússia.

    O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, disse naquela reunião que o ataque mostrou a “profundidade da crueldade e barbárie” do presidente russo, Vladimir Putin, informou a agência de notícias PA, do Reino Unido. “Este terrível ataque mostrou mais uma vez as profundezas da crueldade e barbárie em que o líder russo irá afundar”, afirmou.

    O ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmitro Kuleba, expôs pelas redes sociais que “a Rússia é uma desgraça para a humanidade e deve enfrentar as consequências. A resposta deve ser mais armas pesadas para a Ucrânia, mais sanções à Rússia e mais empresas deixando a Rússia”.

    Essas questões estavam em cima da mesa na cúpula na Alemanha. O G7 prometeu continuar apoiando a Ucrânia “pelo tempo que for necessário” em um comunicado conjunto, e a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, disse à CNN nesta segunda-feira que não “apostaria na Rússia” vencendo a guerra.

    Os Estados Unidos planejam anunciar ainda nesta semana que compraram um avançado sistema de defesa antimísseis terra-ar de médio a longo alcance para a Ucrânia, informou uma fonte familiarizada com o tema à CNN.

    Mais Recentes da CNN