Trump e assessora estavam com Covid-19 no debate com Biden? Médicos comentam

Assessora que viajou com presidente testou positivo para o vírus nesta quinta, horas antes do diagnóstico de Trump. Debate ocorreu presencialmente na terça

O republicano Donald Trump e o democrata Joe Biden durante primeiro debate presidencial nos EUA
O republicano Donald Trump e o democrata Joe Biden durante primeiro debate presidencial nos EUA Foto: Reprodução/CNN (29.set.2020)

Diego Freire,

da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Donald Trump e a primeira-dama Melania Trump confirmaram, na madrugada desta sexta-feira (2), que testaram positivo para o novo coronavírus. Horas antes, na quinta-feira, foi informado o diagnóstico positivo de Hope Hicks, assessora do presidente que o acompanhou no debate presidencial da última terça-feira.

Segundo o Dr. Jonathan Reiner, comentarista da CNN americana, Hicks já poderia estar com o novo coronavírus e contagiosa na terça-feira, quando viajou com Trump e outras autoridades para o primeiro debate presidencial, realizado presencialmente em Cleveland, no estado de Ohio.

O mesmo vale para Trump, que poderia já ser uma fonte de contágio.

Leia também:
Médico diz que Trump está bem e deve manter tarefas de casa após contrair Covid

“Você provavelmente é mais contagioso no dia em que desenvolve os sintomas (da Covid-19), mas é provavelmente contagioso por até 48 horas antes disso, o que certamente incluiria a noite de debate”, disse Reiner.

O médico reciminou o que considerou falta de cuidado da equipe de Trump durante o debate.

“Olha, a equipe Trump se recusou a usar máscaras no corredor. Isso foi ultrajante. Foi ultrajante já antes de sabermos que um membro dessa equipe já era positivo (para o novo coronavírus)”, disse Reiner.

“Toda a equipe com o presidente deve ficar em quarentena por 14 dias. Essas são as diretrizes do CDC. Não é discutível ”, acrescentou Reiner.

Joe Biden pode ter se exposto

Joe Biden e outras autoridades podem ter sido expostos ao vírus na noite do debate, segundo a análise do correspondente médico-chefe da CNN americana, Sanjay Gupta.

O risco de Biden, porém, pode ter sido reduzido pelo distanciamento, acredita o médico. Segundo ele, o candidato presidencial democrata, “pode ter estado longe o suficiente naquele palco” na noite de terça-feira.

“E eu sei que eles vieram de áreas diferentes, provavelmente não passaram muito tempo juntos. Mas ele vai precisar ser testado também. Todos os funcionários da campanha precisarão. Vai ser crítico”, acrescentou.

Com três pessoas na Casa Branca – o presidente Trump, a primeira-dama Melania Trump e a assessora Hope Hicks – agora testando positivo para coronavírus, questões estão surgindo sobre quantas pessoas dentro do governo podem ter sido expostas ao vírus.

O governo precisa “rastrear seus contatos e colocar em quarentena as pessoas que estiveram em contato próximo com alguém”, disse o médico. 

Segundo ele, descobrir quem foi exposto inclui muitos critérios: quão próximos estavam em contato? Quanto tempo durou o contato?

Gupta comentou, ainda, que as infecções pelo novo coronavírus podem demorar um pouco para se instalar após o momento da exposição.

“As pessoas vão dizer: ‘bem eu testei negativo no dia seguinte, após a exposição. Portanto, estou pronto para ir (livre)’. Não é o caso. Você poderia ter exposição hoje, teste negativo amanhã, no dia seguinte e assim por diante por vários dias. E então, de repente, testar positivo”, afirmou.

(Com informações de Shelby Lin Erdman, da CNN)

Mais Recentes da CNN