Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Ucrânia e Rússia discutem local e hora para negociações, diz porta-voz de Zelensky

    Ucrânia estava e continua pronta para discutir sobre um cessar-fogo e paz, acrescentou o oficial

    da Reuters

    Ouvir notícia

    Os governos russo e ucraniano sinalizaram nesta sexta-feira  (25) uma abertura às negociações, mesmo quando as autoridades de Kiev pediram aos cidadãos que ajudem a defender a capital do avanço das forças russas na pior crise de segurança europeia em décadas.

    Ucrânia e Rússia vão se consultar nas próximas horas sobre um horário e local para as negociações, disse Sergii Nykyforov, porta-voz do presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, nas redes sociais, oferecendo o primeiro vislumbre de esperança para a diplomacia desde o início da invasão.

    O Kremlin disse anteriormente que se ofereceu para se reunir na capital bielorrussa, Minsk, depois que a Ucrânia expressou vontade de discutir a declaração de ser um país neutro, mas que a Ucrânia propôs Varsóvia como o local. Isso, segundo o porta-voz russo Dmitry Peskov, resultou em uma “pausa” nos contatos.

    “A Ucrânia estava e continua pronta para falar sobre um cessar-fogo e paz”, disse Nykyforov em um post no Facebook. “Concordamos com a proposta do presidente da Federação Russa.”

    Mas o porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Ned Price, disse que a oferta da Rússia era uma tentativa de conduzir a diplomacia “no cano de uma arma”, e que os militares do presidente Vladimir Putin devem parar de bombardear a Ucrânia se as negociações forem sérias.

    As aberturas diplomáticas contrastaram fortemente com os eventos que se desenrolaram no terreno e a retórica dura de Putin contra os líderes ucranianos, incluindo um pedido de golpe pelos militares do país.

    Os moradores de Kiev foram instruídos pelo Ministério da Defesa a fabricar coquetéis molotov para repelir os invasores, e na noite de sexta-feira testemunhas relataram ter ouvido tiros de artilharia e tiros intensos da parte oeste da cidade. O som do fogo de artilharia frequente, aparentemente a alguma distância do centro da cidade, continuou nas primeiras horas de sábado.

    Zelenskiy se filmou com assessores nas ruas da capital, prometendo defender a independência da Ucrânia.

    “Esta noite eles vão montar um ataque. Todos nós entendemos o que nos espera –devemos aguentar esta noite”, disse Zelenskiy, citado pela Interfax Ucrânia. “O destino da Ucrânia está sendo decidido agora.”

    Algumas famílias se esconderam em abrigos depois que Kiev foi atingida na noite de quinta-feira (24) por mísseis russos. Outros tentaram desesperadamente embarcar em trens lotados em direção ao oeste, alguns das centenas de milhares que deixaram suas casas em busca de segurança, segundo o chefe de ajuda das Nações Unidas.

    Após semanas de alertas de líderes ocidentais, Putin desencadeou uma invasão tripla da Ucrânia pelo norte, leste e sul na quinta-feira, em um ataque que ameaçou derrubar a ordem europeia pós-Guerra Fria.

    “Apelo mais uma vez aos militares das forças armadas da Ucrânia: não permitam que neonazistas e (nacionalistas radicais ucranianos) usem seus filhos, esposas e anciãos como escudos humanos”, disse Putin em uma reunião televisionada com o Departamento de Segurança da Rússia na sexta-feira. “Tome o poder em suas próprias mãos”, acrescentou.

    Putin citou a necessidade de “desnazificar” a liderança da Ucrânia como uma de suas principais razões para a invasão, acusando-a de genocídio contra os falantes de russo no leste da Ucrânia. Kiev e seus aliados ocidentais descartam as acusações como propaganda infundada.

    Os Estados Unidos impuseram sanções a Putin, ao ministro das Relações Exteriores Sergei Lavrov, ao ministro da Defesa Sergei Shoigu e ao chefe do Estado Maior Valery Gerasimov. A União Europeia e a Grã-Bretanha congelaram anteriormente quaisquer bens que Putin e Lavrov detivessem em seu território. O Canadá tomou medidas semelhantes.

    No entanto, o aumento constante das restrições econômicas não deteve Putin.

    Moscou disse na sexta-feira que capturou o aeródromo de Hostomel, a noroeste da capital –um possível ponto de parada para um ataque a Kiev, que vem sendo disputado desde que os paraquedistas russos desembarcaram lá nas primeiras horas da guerra. Isso não pôde ser confirmado e as autoridades ucranianas relataram fortes combates lá.

    No início do sábado, o comando da Força Aérea da Ucrânia relatou fortes combates perto da base aérea de Vasylkiv, a sudoeste de Kiev, que disse estar sob ataque de paraquedistas russos. Também disse que um de seus caças derrubou um avião de transporte russo. A Reuters não pôde verificar de forma independente as alegações.

    Conselho de Segurança da ONU

    Em Nova York, a Rússia vetou um projeto de resolução do Conselho de Segurança da ONU que teria deplorado a invasão de Moscou, enquanto a China se absteve, uma medida que os países ocidentais viram como prova do isolamento da Rússia. Os Emirados Árabes Unidos e a Índia também se abstiveram, enquanto os 11 membros restantes votaram a favor.

    Em meio ao caos da guerra, uma imagem do que estava acontecendo na Ucrânia –o segundo maior país da Europa depois da própria Rússia –demorou a surgir.

    Zelenskiy escreveu no Twitter que houve intensos combates com mortes na entrada das cidades orientais de Chernihiv e Melitopol, bem como em Hostomel.

    “Glória aos nossos defensores, homens e mulheres, glória à Ucrânia”, disse ele, ladeado pelo primeiro-ministro e assessores em um vídeo postado para confirmar que ele estava na capital.

    Testemunhas disseram que ouviram explosões e tiros perto do aeroporto de Kharkiv, a segunda cidade da Ucrânia, perto da fronteira com a Rússia. Os militares da Ucrânia disseram que as tropas russas foram detidas com grandes perdas perto da cidade de Konotop, no nordeste do país.

    O Ministério da Defesa britânico disse que as forças blindadas russas abriram uma nova rota de avanço em direção à capital depois de não conseguirem tomar Chernihiv.

    A Ucrânia disse que mais de 1.000 soldados russos foram mortos até agora. A Rússia não divulgou números de vítimas.

    O secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, falou com seu colega ucraniano e condenou as mortes de civis relatadas, incluindo as de crianças ucranianas, em ataques em Kiev, disse o Departamento de Estado.

    O chefe de ajuda da Organização das Nações Unidas, Martin Griffiths, disse que centenas de milhares de pessoas estão em movimento na Ucrânia.

    A Casa Branca pediu ao Congresso US$ 6,4 bilhões em segurança e ajuda humanitária para a crise, disseram autoridades.

    A porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, disse que a decisão coordenada de sancionar Putin –algo que o presidente dos EUA, Joe Biden havia evitado até agora –pretendia enviar uma mensagem clara de unidade aliada.

    O Ministério das Relações Exteriores da Rússia disse que as novas sanções refletem a “absoluta impotência” do Ocidente, informou a agência de notícias RIA.

    Os países ocidentais anunciaram uma série de sanções à Rússia, incluindo a lista de seus bancos e a proibição de exportações de tecnologia. Mas até agora eles não conseguiram forçá-lo a sair do sistema Swift para pagamentos bancários internacionais.

    Na sexta-feira (25), a Uefa (órgão máximo do futebol europeu) transferiu a final da Liga dos Campeões de maio de São Petersburgo para Paris, e a Fórmula 1 cancelou o GP da Rússia deste ano. A União Europeia de Radiodifusão excluiu a Rússia do amplamente assistido Eurovision Song Contest para 2022.

    Deposição do governo

    Autoridades dos EUA acreditam que o objetivo inicial da Rússia é “decapitar” o governo de Zelenskiy.

    Putin diz que a Ucrânia é um estado ilegítimo esculpido na Rússia, uma visão que os ucranianos veem como destinada a apagar sua história de mais de mil anos.

    Ele diz que não planeja uma ocupação militar, apenas para desarmar a Ucrânia e remover seus líderes, mas não está claro como um líder pró-Rússia pode ser instalado, a menos que as tropas russas controlem grande parte do país.

    Os ucranianos votaram esmagadoramente pela independência na queda da União Soviética e Kiev espera se juntar à Otan e à UE –aspirações que enfurecem Moscou.

    Mais Recentes da CNN