Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Vice-ministro da Defesa da Rússia é preso por suspeita de corrupção 

    Timur Ivanov, vice de Sergei Shoigu, é acusado de receber propina e estava no cargo desde 2016

    Timur Viktorovich Ivanov, vice-ministro da Defesa da Rússia
    Timur Viktorovich Ivanov, vice-ministro da Defesa da Rússia 4.0/Wikimedia Commons

    Da Reuters

    Os serviços de segurança russos detiveram o vice-ministro da Defesa, Timur Ivanov, na terça-feira (23) sob suspeita de aceitar grandes valores em propina, o caso de corrupção de maior repercussão desde que o presidente Vladimir Putin enviou tropas à Ucrânia em fevereiro de 2022.

    Os investigadores citaram subornos “em grande escala” como foco da detenção do político, que pode pegar 15 anos de prisão se for condenado.

    Ivanov, que atua como vice-ministro desde 2016, era responsável pela gestão imobiliária, de habitação, de construção e de hipotecas no Ministério da Defesa. O Ministério da Defesa não fez comentários.

    O jornal russo Kommersant disse que Ivanov, de 48 anos, foi preso pelo Serviço Federal de Segurança (FSB), o sucessor da KGB da era soviética, que Putin disse no mês passado para erradicar a corrupção nas veredas de defesa do Estado.

    Timur Viktorovich Ivanov, vice-ministro da Defesa da Rússia, detido sob custódia em Moscou, Rússia, em 24 de abril de 2024 / Tribunal Distrital de Basmanny de Moscou/Anadolu via Getty Images

    A súbita prisão de um aliado ministro da Defesa, Sergei Shoigu, a quem Putin encarregou de encaminhar a guerra na Ucrânia, desencadeou especulações sobre uma batalha dentro da cúpula e sobre uma repressão pública à corrupção que atormenta as forças armadas russas pós-soviéticas.

    O Kremlin disse que Putin foi informado e acrescentou que Shoigu também foi. Ivanov esteve presente na terça-feira em uma reunião de altos funcionários da defesa presidida por Shoigu.

    O jornal Izvestia disse que outras pessoas também foram detidas, embora não haja confirmação oficial disso. O jornal disse que as propriedades de Ivanov estavam sendo revistadas. A televisão estatal deu cobertura completa ao caso.

    Ministro da Defesa russo Sergei Shoigu / 24/2/2024 Divulgação via REUTERS

    “Digamos apenas que a investigação não começou ontem, anteontem ou mesmo há um mês”, disse uma fonte não identificada das autoridades russas à agência de notícias estatal TASS. A contra-inteligência militar do FSB estava envolvida, disse a agência.

    Não ficou imediatamente claro por que um alto funcionário com uma estreita associação com Shoigu seria o alvo.

    Os bloggers militares russos acusam há muito tempo os principais generais de serem corruptos e incompetentes, especialmente depois da retirada apressada do exército de partes da Ucrânia, após se ter exagerado seriamente durante os primeiros dias da invasão.

    Dentro da elite russa, há uma série de opiniões sobre a guerra, que desencadeou o pior colapso nas relações entre a Rússia e o ocidente desde a crise dos mísseis cubanos de 1962.

    Ivanov está ligado à ostentação que caracterizou alguns setores da elite russa pós-soviética, incluindo imóveis luxuosos e grandes festas.

    Em 2022, a Fundação Anticorrupção da Rússia, chefiada pelo falecido líder da oposição russa Alexei Navalny, alegou que Ivanov e a sua família levavam um estilo de vida luxuoso.

    Ivanov, que nasceu em Moscou, formou-se em matemática pela Universidade Estadual de Moscou e concluiu uma dissertação sobre modelos organizacionais para a construção de usinas nucleares.

    Ele subiu na hierarquia do setor estatal de energia atômica da Rússia e trabalhou como conselheiro do ministro da Energia antes de se tornar vice-chefe do governo da região de Moscou no governo de Shoigu, então governador.

    A partir de 2013, Ivanov chefiou uma empresa de construção do Ministério da Defesa que constrói habitações para soldados e instalações de alta segurança.

    A revista Forbes listou Ivanov como um dos homens mais ricos nas estruturas de segurança da Rússia.

    (Com informações de Guy Faulconbridge e Lidia Kelly)