Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Vídeo: influencer é preso após escalar quase 30 andares de prédio na Argentina

    Prefeitura de Buenos Aires pediu à Justiça mandar escalador pagar por operação de resgate

    Luciana Taddeoda CNN

    Um influencer polonês foi preso na tarde desta terça-feira (11), após escalar e quase chegar ao topo, sem equipamentos de segurança, de um prédio de 30 andares em Retiro, em uma região com diversos edifícios empresariais perto do porto de Buenos Aires.

    O homem, identificado como Marcin Banot, escalou o prédio por uma estrutura de ferro na fachada, que teve que ser quebrada na altura do 25o andar para a conclusão do resgate. Integrantes do corpo de bombeiros da capital argentina desceram pelo terraço por rapel para interceptá-lo e impedir que ele continuasse subindo.

    O influencer tinha uma câmera GoPro na cabeça e, segundo autoridades, “tentava superar um desafio para a rede social Instagram”. Em sua rede social, Banot tem diversas postagens de escaladas em torres, pontes e edifícios pelo mundo.

    O “homem-aranha polonês” usava uma camiseta da Seleção argentina e atraiu olhares curiosos de transeuntes, trabalhadores dos prédios vizinhos e de telespectadores dos canais de notícia locais que exibiram a subida e a operação para retirá-lo do alto do edifício.

    Os bombeiros relataram que ele não resistiu ao resgate e passou por avaliação médica após ser colocado no interior do prédio. Também contam que ele somente tinha um cinto com um mosquetão, que usava para descansar em momentos da escalada, antes de continuar a subida.

    O prefeito de Buenos Aires, Jorge Macri, escreveu que pedirá à Justiça “que lhe ordene pagar por toda a operação”. “Os vizinhos não têm porque arcar com o custo de sua imprudência”, complementou, em um post na rede social X.

    As autoridades afirmam que o influencer polonês já tinha escalado cinco andares do mesmo edifício em 6 de junho. Na ocasião, a Justiça local não considerou que a iniciativa fosse um crime.

    Com a reincidência, no entanto, houve mandado de prisão por “violação de domicílio” e o homem teve sua câmera apreendida.