Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Violência no Haiti: Consulado honorário da Guatemala é saqueado e vandalizado

    Não há indícios de que o ataque tenha sido motivado contra diplomatas

    Soldados haitianos posicionados atrás de um poste guardam a entrada do aeroporto internacional de Porto Príncipe depois que membros de gangues armadas trocaram tiros com policiais e soldados ao redor do local, 06 de março de 2024
    Soldados haitianos posicionados atrás de um poste guardam a entrada do aeroporto internacional de Porto Príncipe depois que membros de gangues armadas trocaram tiros com policiais e soldados ao redor do local, 06 de março de 2024 Guerinault Louis/Anadolu via Getty Images

    Luciana Taddeoda CNN

    em Buenos Aires

    O consulado honorário da Guatemala na capital haitiana, Porto Príncipe, foi saqueado e vandalizado, informou em comunicado o Ministério das Relações Exteriores do país centro-americano no sábado (16).

    O cônsul honorário da Guatemala em Porto Príncipe é haitiano e trabalha sem salário. No escritório, não há funcionários do Ministério das Relações Exteriores da Guatemala, já que o consulado-geral do Haiti e outros assuntos diplomáticos são atendidos na representação guatemalteca na República Dominicana.

    Por enquanto, não há indícios de que o ataque tenha sido motivado contra diplomatas.

    A chancelaria guatemalteca esclarece que a documentação consular dos últimos cinco anos já tinha sido transferida, para proteção, para sua embaixada na República Dominicana, que também funciona como representação diplomática para o Haiti.

    O ataque acontece em meio à grave crise de segurança no país, após gangues tomarem o controle de quase 80% da capital, aterrorizando a população, incendiando veículos e moradias e realizando ataques a delegacias, portos e a aeronaves.

    Nos últimos dias, os Estados Unidos anunciaram que retirariam todos os funcionários não essenciais de sua embaixada e que reforçariam a segurança da representação. A Alemanha e a União Europeia também anunciaram a retirada de seus representantes no Haiti.

    Com o agravamento da crise de segurança, o Brasil suspendeu, desde o começo do mês, o atendimento consular no país caribenho “para minimizar os riscos à vida e segurança do público e dos funcionários da repartição”.

    Devido a uma leve melhora na situação, o serviço foi retomado na última quinta-feira (14), com a presença de diplomatas na embaixada, para atendimento a brasileiros, mas sem emissão de vistos para haitianos.

    A embaixada monitora os acontecimentos e, no momento, descarta retirar diplomatas brasileiros do país.