Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Texas, nos EUA, terá vila formada apenas por casas construídas com impressoras 3D

    Estudo mostrou que uma unidade de banheiro construída com impressão 3D era 25,4% mais barata e produzia quase 86% menos dióxido de carbono do que uma de construção convencional; Veja como ficou uma das casas impressas no Texas

    A primeira casa impressa em 3D concluída para um novo empreendimento de 100 residências ao norte de Austin, no Texas, EUA
    A primeira casa impressa em 3D concluída para um novo empreendimento de 100 residências ao norte de Austin, no Texas, EUA ICON

    Oscar Hollandda CNN

    A maior comunidade mundial de casas impressas em 3D está sendo construída no estado americano do Texas, e o bairro acaba de inaugurar sua primeira casa concluída.

    Com paredes “impressas” usando um material à base de concreto, a estrutura térrea é a primeira de 100 casas desse tipo que receberão os moradores a partir de setembro.

    A comunidade faz parte de um desenvolvimento mais amplo em Georgetown, no Texas, chamada Wolf Ranch. Está localizada a cerca de 50 quilômetros ao norte de Austin, a capital do estado, e é uma colaboração entre a construtora texana ICON, a construtora Lennar e o escritório de arquitetura dinamarquês Bjarke Ingels Group (BIG).

    No sábado (22), os possíveis compradores visitaram a casa modelo na inauguração do projeto, e algumas das unidades já foram vendidas, disse a porta-voz da ICON, Cara Caulkins, à CNN.

    As imagens da casa recém-concluída, compartilhadas pela empresa, mostram interiores bem iluminados e paredes cinzas curvas. As paredes são feitas de uma mistura de concreto chamada Lavacrete, que é canalizada usando impressoras robóticas de 14 metros de largura. Depois de impressas as paredes, são instaladas as portas, janelas e telhados – todos equipados com painéis solares.

    A ICON diz que mais de um terço das paredes das casas já foram impressas, e as propriedades atualmente em oferta estão sendo vendidas por US$ 475 mil a US$ 599 mil.

    Espera-se que o bairro de 100 casas receba seus primeiros residentes em setembro de 2023 / ICON

    As casas impressas em 3D variam em tamanho de 139 a 195 metros quadrados e têm de três a quatro quartos.

    Mais rápido, mais limpo e mais acessível

    Quando a ICON anunciou o projeto em 2021, seu cofundador e CEO, Jason Ballard, descreveu a comunidade como um “momento divisor de águas na história do desenvolvimento em escala comunitária”. A impressão 3D, disse ele, oferece casas de alta qualidade com mais rapidez e economia do que os métodos convencionais de construção.

    Com os Estados Unidos enfrentando um déficit de aproximadamente cinco milhões de novas residências, Ballard disse que há uma “profunda necessidade de aumentar rapidamente a oferta sem comprometer a qualidade, a beleza ou a sustentabilidade, e essa é exatamente a força de nossa tecnologia”.

    O interior de uma casa modelo mostrada a possíveis compradores / ICON

    Enquanto isso, Martin Voelkle, sócio do Bjarke Ingels Group, disse em nota que os edifícios impressos em 3D foram “passos significativos para reduzir o desperdício no processo de construção, bem como para tornar nossas casas mais resilientes, sustentáveis e autossuficientes em energia”.

    Pesquisas independentes sugerem que as casas de impressão podem reduzir as emissões de dióxido de carbono e resíduos de construção. As impressoras 3D podem construir edifícios sem cofragem (os moldes de concreto nos quais o cimento normalmente é derramado), o que pode reduzir significativamente o uso geral do material. O cimento é responsável por cerca de 8% das emissões globais de CO2 anualmente.

    Um estudo de 2020 de Singapura descobriu que uma unidade de banheiro construída com impressão 3D era 25,4% mais barata e produzia quase 86% menos dióxido de carbono do que uma feita com métodos de construção convencionais.

    As impressoras robóticas “Vulcan” de 14 metros de largura da ICON canalizam uma mistura de concreto chamada Lavacrete de acordo com um projeto pré-programado / ICON

    No entanto, os críticos apontaram que as casas impressas em 3D ainda dependem de concreto intensivo em carbono e que os códigos de construção que abordam a segurança e a estabilidade das estruturas ainda não foram amplamente adotados.

    Wolf Ranch é o maior projeto da ICON até o momento, embora a empresa já tenha usado a impressão 3D para construir habitações sociais ou subsidiadas no México e no Texas. Ballard disse à CNN em 2019 que a tecnologia de sua empresa também poderia ser usada para combater a falta de moradia ou fornecer abrigo após desastres naturais.

    “A impressão 3D não é ficção científica”, disse ele. “Nós cruzamos o limiar da ficção científica para a realidade. No futuro, nossa aposta é que esta será a melhor esperança da humanidade para uma solução habitacional que corresponda aos nossos valores e ideais mais elevados”.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original