Governo federal reconhece situação de emergência no Mato Grosso do Sul


Rudá Moreira, da CNN, em Brasília
14 de setembro de 2020 às 16:42 | Atualizado 14 de setembro de 2020 às 23:56

O governo federal prometeu enviar mais dinheiro para reforçar o combate aos incêndios no Pantanal até esta terça-feira (15). A avaliação do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) é de que a situação está "bem grave". 

A pasta corre para liberar os recursos, após a situação de emergência em Mato Grosso do Sul ter sido reconhecida pelo governo federal. A publicação saiu em edição extra do Diário Oficial da União no início da tarde desta segunda (14), em resposta ao pedido governador do estado, Reinaldo Azambuja, feito na manhã do mesmo dia.

O secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, Coronel Alexandre Lucas Alves, afirmou, em vídeo enviado à CNN, que o processo de reconhecimento no Diário Oficial foi feito ainda nesta segunda "para que possamos, de imediato, liberar recursos para o combate aos incêndios".

Leia também:
‘Questões ideológicas’ contribuíram com as queimadas no Pantanal, diz Salles
Fumaça de queimadas na Amazônia e no Pantanal chega ao Sul e Sudeste do Brasil
Queimadas no Pantanal: 5 respostas para as perguntas mais comuns

A pressa para agilizar a liberação de recursos deve-se ao que o MDR considera a "pior estiagem dos últimos 50 anos" em Mato Grosso do Sul. "Desde ontem, fizemos reuniões com os órgãos estaduais, com órgãos federais que estão atuando no local, e a primeira decisão foi a decretação de situação de emergência, assinada pelo governador", explicou nesta segunda o comandante da Defesa Civil nacional, em Campo Grande (MS).

A Defesa Civil afirma estar em sintonia com o governo estadual no combate ao avanço das queimadas no Pantanal. "O estado apresentará planos de trabalho para locação de aeronaves, compra de insumos para o Corpo de Bombeiros, para os brigadistas, contratação de hospedagem, contratação de alimentação para os trabalhadores do fogo, enfim, tudo aquilo que for possível, tudo aquilo que for necessário para vencermos esse desafio", disse o coronel Alexandre Lucas.

O bioma Pantanal já teve 95% mais incêndios registrados em 2020 do que no mesmo período, ano passado, segundo levantamento da CNN com base nos dados disponibilizados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Depois do Mato Grosso do Sul - que registrou 7.493 focos de incêndio só até o dia 13 deste mês -, onde monitora as atividades desde o domingo (13), o secretário nacional de Defesa Civil planeja ir ainda esta semana para o Mato Grosso -que já registrou 32.230 focos de fogo em 2020, sendo a Unidade da Federação com o recorde de incêndios detectados pelo sistema de monitoramento do Inpe.

O MDR lembra que R$ 500 mil já foram repassados, no início do mês, ao estado de Mato Grosso do Sul, e R$ 1,1 milhão ao município de Poconé (MT).