"Educação a distância não substitui tudo", diz secretário de SP sobre retorno

Rossieli Soares, voltou a defender, em entrevista à CNN nesta segunda-feira (21), o retorno gradual às escolas

Da CNN, em São Paulo
21 de setembro de 2020 às 15:21 | Atualizado 21 de setembro de 2020 às 17:56

O secretário de Educação do estado de São Paulo, Rossieli Soares, voltou a defender, em entrevista à CNN nesta segunda-feira (21), o retorno gradual às aulas. “Existem muitos aspectos que somente a escola presencial pode dar”, disse. 

“A gente não está falando de voltar de qualquer jeito. O cognitivo é importante, o aprender é fundamental. A educação a distância não substitui tudo. É um mecanismo importante, mas não substitui, especialmente as nossas necessidades de cuidado”, falou ao citar como exemplo o aumento de casos de depressão. “Não está sendo fácil para os nossos jovens”, afirmou.

Assista e leia também:

Colégios militares podem retomar aulas presenciais a partir desta segunda (21)

OMS diz que países precisam escolher se querem abrir bares ou escolas

Rossieli Soares, secretário estadual de Educação de São Paulo
Foto: CNN (21.set.2020)

“Existem premissas que, para nós, são inegociáveis, como a busca para a volta às aulas seguras. É uma questão de conversar, de dialogar, porque precisamos encontrar um ponto de equilíbrio desde que seja começando esse retorno. Não vejo hoje uma possibilidade de greve até porque tudo o que estamos fazendo é opcional e construído pela própria comunidade”, afirmou.

O secretário também defendeu que a classe dos professores seja uma das primeiras a receber a vacina quando a imunização estiver disponível. "Vou continuar defendendo a nível federal para todos os profissionais da educação no Brasil. Mas, dentro do estado, temos certeza que [o setor da] educação é, sim, uma das prioridades", disse. 

(Edição: Leonardo Lellis)