Secretário de Educação defende aula presencial em SP: 'Fundamental retornar'


Da CNN
16 de setembro de 2020 às 13:40

O secretário estadual de Educação de São Paulo, Rossieli Soares, defendeu a volta às aulas de forma gradual e opcional. A declaração foi feita em entrevista à CNN, nesta quarta-feira (16).

"Ainda que gradual e opcional, é fundamental que comecemos a retornar. Não dá para dizer [que voltará] quando tivermos a vacina [contra a Covid-19]. E se a vacina não chegar para todos? Ela não chegará no final do ano e virá primeiro para um grupo de risco. Então, temos que ter a certeza de que voltar às aulas é uma prioridade", frisou.

Leia e assista também:
Rossieli Soares explica que quarto ano do ensino médio em SP será opcional
OMS diz que países precisam escolher se querem abrir bares ou escolas
Escolas de 128 cidades de SP retomam atividades presenciais; veja as regras

O secretário estadual de Educação de São Paulo, Rossieli Soares, fala à CNN

O secretário estadual de Educação de São Paulo, Rossieli Soares, fala à CNN

Foto: CNN (16.set.2020)

Rossieli citou o posicionamento da Organização Mundial de Saúde (OMS) sobre prioridade nas reaberturas e avaliou que reabrir bares antes de escolas é algo que "diz muito sobre os estados e municípios" do Brasil.

"Os melhores [países] do Pisa (Programa Internacional de Avaliação de Alunos) estão reabrindo as escolas, depois é que vão abrir outras áreas, mas estamos fazendo o inverso no nosso país e isso traz prejuízo educacional", avaliou ele, que defendeu o início gradual da volta às salas de aulas.

Para finalizar, o secretário de SP ainda citou estudos que apontam que as aulas remotas não têm o mesmo efeito do ensino presencial. "Os prejuízos são enormes, incluindo socioemocional. Pesquisa feita no país [mostrou que] 75% dos alunos estão mais angustiados, irritados, mais ansiosos e no caminho de uma depressão", pontou. 

"E isso traz mais impacto. São elementos que precisam ser olhados. A educação não é uma rede de proteção social em si, mas ela faz parte. Tudo o que oferecemos na escola e o fato de ter a escola disponível, pois acaba sendo um referencial de busca de solução", concluiu.

4º ano do ensino médio

Rossieli voltou a comentar a criação do quarto ano do ensino médio para alunos da rede estadual. "É opcional. A todos que desejarem, será permitido cursar uma parte ou todo o terceiro ano de novo", disse ele, que informou que a previsão é iniciar junto no calendário escolar de 2021, que ainda será divulgado.

Com a opção de curso parcial, o objetivo é que os alunos interessados possam cursar somente uma área ou matéria. "Onde tivermos turmas suficientes, vamos começar a formar, até para ter conteúdos diferenciados também para esses estudantes", completou.

Para ele, há "um prejuízo grande" na educação estadual à luz da pandemia. "O estado de São Paulo teve um grande avanço no Ideb, mas tudo isso fica em risco cada vez mais, especialmente o futuro dos nossos jovens. Dar oportunidade é essencial nesse momento", defendeu, mas destacou que "é impossível dizer que todos os alunos estão fracassando". 

"Tem muito aluno que está avançando e fazendo isso bem, e vai ocupar vagas nas universidades. Dar oportunidade para aqueles que desejarem é ainda um dos grandes desafios, e o quarto ano nasce para ajudar a minimizar isso", encerrou.

(Edição: André Rigue)