Após caos no Amazonas, MS lidera preocupação com leitos de UTI; veja números

Levantamento da Agência CNN com dados das secretarias de Saúde dos estados mostra situação preocupado em quase todas as regiões do Brasil

André Rigue, da CNN, em São Paulo
15 de janeiro de 2021 às 08:03 | Atualizado 15 de janeiro de 2021 às 08:11
Paciente com Covid-19 recebe atendimento médico em Manaus
Paciente com Covid-19 recebe atendimento médico em Manaus
Foto: Sandro Pereira/Fotoarena/Estadão Conteúdo 

O Amazonas enfrenta um caos no sistema de saúde com o elevado número de ocupação de leitos de UTI. Com praticamente todos os leitos disponíveis para pessoas com coronavírus ocupados, o estado ainda sofre com a falta de oxigênio, essencial para o tratamento dos pacientes.

Levantamento realizado pela Agência CNN junto às secretarias de Saúde estaduais mostra que outros estados estão em alerta com o número de ocupação de leitos. Destaque para Mato Grosso do Sul, no Centro-Oeste, com 92% dos leitos de UTI públicos para tratamento de Covid-19 ocupados.

Em São Paulo, a média geral de UTI é de 62%. O governador João Doria deve apresentar nesta sexta-feira (15) uma atualização no Plano SP de reabertura econômica e colocar novas restrições. 

Ainda no Sudeste, Belo Horizonte, capital de Minas Gerais, tem 86% dos leitos de UTI para Covid-19 ocupados. A cidade também tem adotado medidas mais restritivas.

 

No Sul do Brasil, Paraná (81% de ocupação de leitos de UTI), Santa Catarina (79%) e Rio Grande do Sul (77%) também estão em alerta.

No Nordeste, Pernambuco é o estado que apresenta a maior ocupação de leitos de UTI, com 82%. No Norte, além do caos no Amazonas, o Amapá apresenta sinal de alerta com 83% de preenchimento dos leitos para adultos de UTI.

SUL

Paraná - Ocupação leitos UTI: 81% (adulto) | 36% (pediátrico) | Enfermaria: 58% (adulto) | 50% (pediátrico) - atualização em 14/01

Santa Catarina - Ocupação leitos UTI SUS: 79% (leitos gerais) - atualização em 14/01

Rio Grande do Sul - Leitos UTI Adulto: 77% | Enfermaria: 24,7% | Leitos SUS: 74,2% | Leitos privados: 85.6% - atualização em 14/01

SUDESTE

São Paulo - Ocupação Leitos UTI: Estado: 67.5%| Grande SP: 69% | Ocupação Leitos Enfermaria: Estado: 52,6% | Grande SP: 60% - atualização em 14/01

*São Paulo (capital) - Ocupação Geral de UTI: 62% (Hosp. Municipais: 60% | Hosp. Contratualizados: 89%) - atualização em 14/01

Rio de Janeiro - Ocupação UTI: 71.3% | Enfermaria: 61.8% - atualização em 14/01
Minas Gerais - Ocupação UTI Covid: 34,64% | *A taxa de ocupação geral de leitos de UTI: 72,45% - atualização em 14/01

*Belo Horizonte (capital) - UTI Covid: 86% (SUS + suplementar) | Enfermaria Covid: 73.7% (SUS + suplementar) - atualização em 14/01

Espírito Santo - Ocupação leitos UTI Covid: 77,16% | Enfermaria Covid: 70,99% - atualização em 14/01

CENTRO-OESTE

Distrito Federal - Ocupação de leito adulto: 70.19% | Ocupação de leito pediátrico: 66.67% | Taxa de ocupação leito neonatal: 25% - atualização em 14/01

Mato Grosso do Sul - Ocupação Leitos públicos UTI adulto: 92% | Enfermaria adulto: 47% | UTI infantil: 8% | Enfermaria infantil: 33% - atualização em 14/01

Goiás - Ocupação UTI Covid: 68,60% | Ocupação Enfermaria Covid: 37,20%. A taxa de ocupação geral de leitos de UTI: 63,05% | Leitos enfermaria: 44,25% para doenças além da Covid-19) - atualização em 15/01

*Goiânia (capital) - UTI: 63% | Ocupação Enfermaria: 44% - atualização em 14/01

Mato Grosso - Ocupação Leitos UTI: 68% | Leitos de UTI pediátrica: 53% - atualização em 14/01

NORDESTE

Bahia - Ocupação UTI adulto: 72% | UTI pediátrica: 57% | Enfermaria adulto: 54% | Enfermaria pediátrica: 62% - atualização em 14/01

Alagoas - Ocupação UTI: 61% | UTI Intermediária: 24% | Leitos clínicos: 46% - - atualização em 14/01

Rio Grande do Norte - Ocupação leitos de UTI para Covid-19: 62% / Leitos clínicos: 45% - atualização em 14/01

Ceará - UTI Estado: 69,3% | Enfermaria: 41% - atualização em 14/01

Pernambuco - Leitos de UTI: 82% | Leitos de enfermaria: 65% - atualização em 14/01

Piauí - Ocupação leitos de UTI: 52% | Ocupação leitos clínicos: 46% | Ocupação leitos de estabilização: 16% - atualização em 14/01

Maranhão - Ocupação UTI Grande Ilha (São Luís): 68,54% | Leitos clínicos: 36,70% - atualização em 14/01

Paraíba - Leitos de UTI do estado: 44% | Enfermaria 40% - atualização em 14/01

Sergipe - Taxa ocupação UTI Adulto: 68% público |73% privado | Ocupação enfermaria: 61,4% público | 58,9% privado - atualização em 14/01

 

NORTE

Acre - UTI 63%| Leitos Clínicos 44% - Última atualização em 13/01

Tocantins – UTI: 60% | Enfermaria: 8% - atualização em 14/01

Rondônia - Total de pacientes internados: 346: - (Aguardando informações solicitadas em 12/01)

Roraima - UTI: 71% | Clínicos: 66% - http://covid19.sesau.ro.gov.br/Home/LeitosEvolucao    - atualização em 14/01

Amazonas – Leitos UTI (Sala Vermelha) – 133,33% |Leitos clínicos – 103,72% |UTI para pacientes com Covid-19 – 90,33% |Leitos clínicos (não Covid-19) – 69,78%|UTI não-Covid-19 75,33%. *Sala vermelha é "estrutura voltada à assistência temporária para estabilização de pacientes críticos/graves para posterior encaminhamento a outros pontos da rede de atenção à saúde".

Amapá - Ocupações público: UTI Adulto: 83% | Enfermaria adulto: 57% | UTI Infantil: 0% | Enfermaria infantil: 59% - atualização em 14/01

Pará - UTI: 46% | Enfermaria: 69% - atualização em 14/01

Com informações de Victória Cócolo, da CNN, em São Paulo.