Dezenas de pessoas promovem festa dentro de vagões de trens no Rio

A CNN recebeu denúncias de festas clandestinas realizadas dentro de vagões de trens em alguns ramais da cidade

Iuri Corsini e Thayana Araújo, da CNN Brasil, no Rio de Janeiro
20 de março de 2021 às 16:08 | Atualizado 20 de março de 2021 às 17:26

 

Enquanto a pandemia segue avançando em todo o país, com diversos alertas de um colapso generalizado, algumas pessoas seguem em ritmo de festa sem respeitar as medidas restritivas adotadas. A CNN recebeu denúncias de festas clandestinas realizadas dentro de vagões de trens em alguns ramais da cidade do Rio. 

Uma delas teria, segundo relatos, acontecido na noite desta sexta-feira (19), com início na estação da Central do Brasil. De acordo com as imagens obtidas, é possível ver dezenas de pessoas aglomeradas e uniformizadas dentro dos vagões, bebendo cerveja e até mesmo fumando dentro do trem. Praticamente ninguém usava máscara. 

 A festa chegou a ser divulgada previamente, com o  nome “Trem do Funk da Antiga”. Ela foi anunciada para o dia 19 de março, com concentração a partir das 19h na plataforma 8 da Central do Brasil, com dois DJs escalados. Nas imagens, inclusive, é possível ver até mesmo o equipamento de som montado dentro do vagão. 

“É sempre à noite que acontecem esses bailes dentro dos vagões. O trem do Rio não tem fiscalização”, afirmou à CNN uma fonte que presenciou a festa. 

Um dos ramais em que a festa foi realizada, o ramal de Japeri, corta 6 municípios do Rio de Janeiro e é rota para milhares de trabalhadores diariamente.

Em nota, a SuperVia, responsável pelo ramal de trem onde foi realizado o evento, afirmou que vai apurar o episódio e adotar as medidas jurídicas cabíveis, dizendo, ainda, que os agentes da empresa não têm poder de polícia para coibir tais atos.

Veja a nota na íntegra:

“A SuperVia repudia o comportamento registrado no vídeo, que mostra a prática de atos proibidos por lei, especialmente neste momento delicado de pandemia, incluindo, pessoas sem máscaras, ouvindo música alta, fumando e consumindo bebidas alcoólicas, o que pode causar transtornos e riscos aos demais passageiros.  A concessionária vai apurar o episódio e adotar as medidas jurídicas cabíveis, comunicando às autoridades competentes para investigação e punição dos responsáveis. A empresa esclarece que a fiscalização em relação ao uso de máscara cabe ao poder público.

A SuperVia realiza campanhas de conscientização sobre o uso obrigatório e, em respeito às leis em vigor, apenas vende passagens aos clientes que estejam utilizando máscaras no momento da compra nas bilheterias. A empresa conta com a compreensão dos passageiros para que mantenham o uso durante suas viagens, visando a proteção de todos.

Os agentes da SuperVia não têm poder de polícia e, em casos como este, eles acionam os órgãos competentes para as providências necessárias”.

Caos na saúde

Também na sexta-feira (19), o Rio de Janeiro registrou um aumento de 1.200% no tamanho da fila de leitos de Covid-19, em relação ao primeiro dia deste mês. É o maior número de pessoas aguardando por atendimento em todo o ano. Foram registrados 481 pacientes com Covid-19 na fila por um atendimento, seja na UTI ou na enfermaria.

No estado, ao menos dez municípios estão com 100% dos leitos de UTI esgotados. 

Ainda na sexta-feira, dia da festa no vagão, o Rio passou de uma para 27 regiões com risco alto para Covid-19.

Vale lembrar que festas e aglomerações estão proibidas no estado.

Festas clandestinas realizadas dentro de vagões de trens em alguns ramais da cidade do Rio
Foto: Reprodução