Eventos-teste com público no Rio não são para agora, afirma secretário da Saúde

Secretaria Municipal de Saúde ainda discute detalhes para retomada das atividades do setor

Marcela Monteiro, da CNN, no Rio de Janeiro
17 de maio de 2021 às 12:58 | Atualizado 17 de maio de 2021 às 13:01
Sambódromo no Rio de Janeiro: incertezas sobre o Carnaval afetam escolas
Sambódromo no Rio de Janeiro: incertezas sobre o Carnaval afetam escolas de samba
Foto: Jairo Nascimento/CNN

 

O retorno dos eventos com público na cidade do Rio de Janeiro não deve ocorrer neste momento. Na última sexta-feira, o prefeito Eduardo Paes causou expectativa no setor, ao anunciar a previsão de um decreto com a liberação da atividade, para essa semana, mediante protocolos e testes-rápidos. Nesta segunda-feira (17), o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, explicou como o processo deve ocorrer. 

Segundo o secretário, a liberação depende do sucesso de testes, que serão realizados pelo município. “Os eventos-teste não são para agora. No mínimo, 45 dias para aprovação após o pedido para a prefeitura”, afirmou.

 

Soranz disse, também, que serão levados em conta fatores como o avanço da campanha de vacinação, a redução do número de casos e de internações hospitalares no momento do pedido.  

Apesar de a Secretaria Municipal de Saúde ainda discutir os detalhes, o secretário adiantou assuntos em definição. O público precisará ser testado 12 horas da realização, em laboratórios certificados, e não no espaço onde vai ocorrer o evento. E já há algumas restrições previstas. 

“Os maiores de 60 anos e pessoas com comorbidades só poderão participar se tiverem recebido as duas doses e 14 dias após essa última aplicação”, afirmou.

A expectativa do setor é alta, uma vez que a área já acumula, de acordo com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), um prejuízo de R$ 270 bilhões de março a dezembro de 2020. De acordo com a pesquisa, cerca de três milhões de profissionais perderam seus empregos por conta das restrições necessárias para o combate à Covid-19.