Avaliação da Casa Civil foi determinante para secretária deixar cargo na Saúde

Apenas dez dias depois de ser anunciada no cargo, Luana Araújo deixou cargo de secretária extraordinária de Enfrentamento à Covid-19

A infectologista Luana Araújo ao lado do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga
A infectologista Luana Araújo ao lado do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga Foto: Tony Winston/MS (12.mai.2021)

Kenzô Machida e Bárbara Baião

Da CNN, em Brasília

Ouvir notícia

 O Ministério da Saúde comunicou neste sábado (22) que a infectologia Luana Araújo, anunciada para o cargo de secretária extraordinária de Enfrentamento à Covid-19 não exercerá a função. Apenas dez dias depois de ser anunciada no cargo, a pasta informou que “busca por outro nome com perfil profissional semelhante: técnico e  baseado em evidências científicas”.

De acordo com relatos feitos à CNN, dra Luana já teria se despedido durante a semana do grupo do COE (Centro de Operações Especiais),  formado por membros de todas as secretarias do Ministério da Saúde para monitoramento da emergências de saúde pública. 

No seu blog, chamado de DES-Infectando, a médica não apenas se posiciona contra o uso da cloroquina e da hidroxicloroquina, como explica os efeitos colaterais e deixa claro que o medicamento não tem benefício que valha o risco de fazer uso nem em pacientes graves, leves nem de forma preventiva. O levantamento dessas declarações estaria entre os motivos que levou a Casa Civil a levantar dúvidas sobre a escolha do nome indicado pelo próprio ministro da Saúde, Marcelo Queiroga

 

O nome de Luana foi anunciado no evento do Ministério da saúde na quarta-feira da semana passada( 12) durante o lançamento da Campanha de Conscientização sobre medidas preventivas e Vacinação contra a Covid- 19. Nesse dia a médica, formada pela Universidade do Rio de Janeiro (UFRJ) e pós-graduada em epidemiologia na Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, fez um breve discurso se solidarizando com as vítimas e familiares de mortos pela Covid-19 e prometeu trabalhar com evidências científicas.

Durante o evento, Luana Araújo disse ter atuado na linha de frente do combate à doença, ressaltou sua formação e vocação para trabalhar com preparo e resposta dos sistemas de saúde ao redor do mundo em relação a pandemias,  “Essa é minha vocação natural, ministro, e fico muito feliz que se alinhe aos objetivos traçados para essa secretaria: trabalho duro, pautado na tecnicidade, nas evidências científicas, buscando sempre soluções eficientes e adaptadas a nossas vulnerabilidades socioeconômicas”, afirmou a médica.

Na ocasião, o ministro Marcelo Queiroga disse que seguiu a orientação do presidente Jair Bolsonaro de ter quadros qualificados no ministério.

A infectologista usou as redes sociais para agradecer ao ministro e falar da brevíssima passagem pelo cargo: “Saio desta experiência como entrei: pela porta da frente, com a consciência e o coração tranquilos, ciente de que neste curto período entreguei o melhor da minha capacidade de acordo com os princípios que tenho como profissional especialista na área: ética, cientificidade, agilidade, eficiência, empatia e assistência. Agradeço ao ministro Marcelo Queiroga pela oportunidade, confiança e exemplarismo. Desejo, acima de tudo, como colega e como brasileira, toda sorte a ele e a sua equipe no prosseguimento no combate à pandemia”.

Procurada, a Casa Civil informou à CNN que a informação não procede.

Mais Recentes da CNN