Bloco mais antigo do RJ anuncia desfile fechado após cancelamento do Carnaval

Cordão da Bola Preta afirmou que evento vai acontecer em sua sede, seguindo os protocolos sanitários previstos para a realização de festas particulares

Camille CoutoLucas Madureirada CNN

no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

Após o cancelamento do Carnaval de rua no Rio de Janeiro, anunciado nesta terça-feira (4), o bloco Cordão da Bola Preta, um dos mais antigos do país, comunicou que vai optar por fazer uma comemoração na sede do bloco, no centro da cidade.

Segundo a legislação sanitária em vigor no estado, a realização de eventos em lugares fechados é permitida, desde que seja exigida a apresentação do passaporte de vacinação contra o novo coronavírus e um exame RT-PCR negativo para a doença.

De acordo com sua assessoria de imprensa, o bloco vai fazer bailes de Carnaval durante todos os cinco dias de comemorações, seguindo os protocolos sanitários previstos para a realização de eventos particulares.

Fundado em 1918, o bloco é o mais antigo do Rio de Janeiro, e leva milhares de foliões para às ruas durante os desfiles no Rio de Janeiro.

A decisão de proibir, pelo segundo ano consecutivo, o desfile dos blocos de rua na capital fluminense foi tomada pelo prefeito do município, Eduardo Paes (PSD), durante uma reunião realizada nesta terça-feira com patrocinadores e representantes da Associação Independentes dos Blocos da cidade.

Por conta do avanço da variante Ômicron, Paes decidiu suspender o Carnaval de rua, mas afirmou que o desfile das escolas de samba do grupo especial, no Sambódromo da Marquês de Sapucaí, será mantido, já que há mais facilidade de fazer o controle de acesso dos foliões.

“Acabei de ter, nesse momento, uma reunião com o pessoal dos blocos de rua, e a gente comunicou a eles que o Carnaval de rua, nos moldes que eram feitos até 2020, não acontecerão em 2022. Infelizmente, eu falo aqui como prefeito que gosta de Carnaval, como cidadão, e infelizmente a gente não pode fazer”, disse o prefeito durante uma transmissão ao vivo na internet após a reunião.

Mais Recentes da CNN