Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Brasileira fica paralisada após infecção nos EUA; família faz vaquinha para trazê-la de volta

    Segundo parentes, somente o custo da ambulância aérea é de aproximadamente US$ 200 mil

    Cláudia Albuquerque, 23 anos, ficou paralisada após contrair botulismo
    Cláudia Albuquerque, 23 anos, ficou paralisada após contrair botulismo Reprodução/redes sociais

    Julia FariasLuan Leãoda CNN*

    Em São Paulo

    A brasileira Cláudia Albuquerque, 23 anos, que está nos Estados Unidos para um intercâmbio, ficou paralisada após contrair uma infecção bacteriana. Ela está internada há quase dois meses e respira com auxílio de aparelhos.

    Diante da situação, a família dela abriu uma vaquinha pela internet para tentar arrecadar dinheiro para bancar a dívida com o tratamento nos Estados Unidos e para trazê-la de volta ao Brasil.

    A vaquinha foi aberta na semana passada e, até o início da noite desta terça-feira (16), já havia arrecadado pouco mais de R$ 156,8 mil. A meta estipulada é de R$ 1 milhão. Segundo a família, somente a ambulância aérea custaria cerca de US$ 200 mil.

    O que aconteceu

    Por meio de uma rede social, Luísa, irmã de Cláudia fez uma postagem relatando o ocorrido com a jovem. Segundo ela, no dia 17 de fevereiro, Cláudia começou a sentir sintomas como tontura, visão dupla e falta de ar.

    No dia seguinte, amigas da garota a encontraram com paralisia facial e dificuldade para falar e se comunicar. Elas levaram a jovem até um hospital e, inicialmente, os médicos acreditavam que se tratava de uma crise de asma. Ainda segundo a família, a equipe também cogitou que pudesse ser uma crise alérgica e até de pânico, fazendo com que Cláudia fosse medicada com ansiolíticos.

    Posteriormente, Cláudia foi levada para um hospital em Denver, também no Colorado, onde está até hoje. Para a transferência, a estudante precisou ser sedada e entubada, já que não conseguia respirar sozinha. Ao chegar, já estava com os músculos paralisados.

    “Depois de incontáveis exames, testes, transferência de hospital, punções lombares e transfusão de plasma, no dia 01/03 tivemos o diagnóstico: botulismo. É uma doença extremamente rara, que destrói as ligações entre os nervos e os músculos, demorando diversos meses para se regenerarem”, diz a postagem.

    Após quase dois meses, a garota segue internada nos Estados Unidos, longe da família. “Cada dia de internação custa em média 10 mil dólares. O seguro viagem que ela tinha já acabou há muito tempo, e as contas do hospital só estão aumentando”, acrescentou a irmã.

    A família decidiu que agora é o momento de tentar trazer Cláudia para o Brasil, pois, segundo a irmã, o quadro dela está “começando a ficar mais estável”.

    * Sob supervisão