Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Cerca de 23% dos municípios adequaram as salas de aula, diz Confederação Nacional

    À CNN, Paulo Ziulkoski disse que 78,5% dos municípios brasileiros já retomaram as aulas presenciais

    Produzido por Ludmila Candalda CNN em São Paulo

    A última pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Municípios (CNM) mostra que 23% das escolas municipais conseguiram investir na adaptação de seus espaços para receber os alunos presencialmente, é o que explica o presidente da Confederação Paulo Ziulkoski.

    Segundo ele, por mais que falte estrutura em alguns estados ou municípios, “houve um esforço muito grande” para a adaptação das escolas. “Eu poderia afirmar que mais ou menos 23% dos municípios adequaram as salas de aula”, disse ele em relação ao resultado da pesquisa, realizada há quinze dias, e que envolveu 2.600 municípios.

    “23% pode ser um número baixo, mas é o que a gente conseguiu apurar. 25% adquiriram equipamentos de proteção (EPI’s) para funcionarem melhor, e 15% deles adquiriu, inclusive, testes de Covid-19. Então, dentro deste espectro nacional, que é muito diferente um do outro, temos essa realidade”, explica.

    De acordo com o levantamento, 78,5% dos municípios já reiniciaram as aulas presenciais em todo o país.

     

    Paulo Ziulkoski disse à CNN que houve uma preocupação, em geral, por parte dos municípios, em vacinar todos os profissionais da educação. “A grande realidade é que os municípios apuraram bastante e praticamente cobriram a vacinação em todo o corpo de trabalhadores da educação.”

    Segundo sua investigação, os pequenos e médios municípios, que são em torno de 4 mil, conseguiram realizar uma ampla campanha. “É nos pequenos onde houve maior cobertura vacinal dos profissionais de educação. Isso é uma realidade”, afirma.

    No entanto, segundo a Confederação, ainda falta imunizantes em pelo menos um terço das cidades brasileiras. “Continua faltando vacina. Isso é concreto e mais de 30% dos municípios acusam falta de vacinas. Então, à medida que chega vacina, ela imediatamente é aplicada.”